Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 03 / 16 / Cidade abre nesta 6ª feira série de oficinas culinárias

Cidade abre nesta 6ª feira série de oficinas culinárias

Ao longo do ano, Coordenadoria de Segurança Alimentar oferecerá vários cursos temáticos visando mais qualidade e geração de renda

O Núcleo de Educação Alimentar e Nutricional da Coordenadoria de Segurança Alimentar, ligada à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, abre nesta sexta-feira (16), o ciclo gratuito de oficinas culinárias, que será oferecido ao longo deste ano em Araraquara, a exemplo de 2017.

Sob o tema da Páscoa e com 30 vagas já preenchidas, o curso será oferecido na Cozinha Escola Comunitária, no Restaurante Popular I, das 8h às 12h, ensinando a confecção de colomba pascoal, que tem a base em trigo e em frutas cristalizadas.

 Em entrevista ao programa ‘Canal Direto com a Prefeitura’, na quarta-feira (14), na TV Web Participativa, via página oficial da Prefeitura de Araraquara, o coordenador de Segurança Alimentar, Marcelo Mazzeta, destacou a importância das oficinas, que deverão ser ampliadas este ano. Destacou também a instalação da Caisan (Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional) no município.

 Segundo Marcelo, os temas das oficinas culinárias são ligados diretamente ao cotidiano das pessoas e a datas específicas. “Em maio, a oficina será relativa ao dias das mães, e em junho, sobre as festas típicas do período. Em julho e agosto, com o tempo frio e de mais vento, trabalhamos com caldos e sopas”, exemplificou.

 “A gente vai adequando a oficina culinária de acordo com a realidade e os períodos em que se comemoram algumas datas, ou às festividades tradicionais de cada época do ano”.

 Vale destacar que a proposta de ampliação das oficinas atende a uma demanda da 1ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, realizada em outubro do ano passado na cidade, dentro das diretrizes estabelecidas pelo governo do prefeito Edinho.

Mais segurança

 O coordenador acrescentou que as oficinas culinárias foram criadas em 2017, no início do novo governo, dentro do Núcleo de Educação Alimentar e Nutricional, com dois objetivos básicos: pelo aproveitamento integral dos alimentos e para possibilitar a geração de renda aos participantes dos cursos.

 E ressaltou que no ano passado foram realizadas mais de 30 oficinas, com a participação de cerca de 250 pessoas de diversas regiões da cidade, e a proposta é aumentar ainda mais o número de cursos neste ano.

 Conforme lembrou Mazzeta, estudos mostram que em Araraquara, no Brasil, e no mundo a população está ficando cada vez mais obesa por conta dos hábitos alimentares não muito saudáveis.

 “Por isso, é importante destacar que, a Política de Segurança Alimentar desenvolvida no Brasil, preconiza a alimentação saudável, com o consumo de alimentos saudáveis e frescos, incluindo ervas, temperos, verduras e frutas  produzidos nos quintais de casa.

 “E a gente procura, junto com outros setores da Prefeitura e da cidade, estimular esse tipo de produção em Araraquara”, resumiu.

Caisan

 Marcelo Mazzeta reiterou que a Caisan (Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional) é um dos quatro elementos que compõem o sistema de segurança alimentar e nutricional, a partir das diretrizes estabelecidas pela lei nacional.

 Em Araraquara, foi criada por lei municipal, em dezembro de 2017, e sancionada pelo prefeito Edinho em fevereiro. A Caisan faz parte do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), que assegura o acesso à alimentação adequada como direito fundamental do ser humano.

 A Câmara tem como principais funções coordenar a execução da Política e do Plano Municipal de Segurança Alimentar, indicando diretrizes, metas, fontes de recursos e instrumentos de acompanhamento, monitoramento e avaliação de sua implementação.

 No município, é formada por representantes das secretarias de Assistência e Desenvolvimento Social, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Saúde, Educação, Esportes e Lazer, Planejamento e Participação Popular, Desenvolvimento Urbano e Cultura.