Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 05 / 15 / Prefeitura inaugura nova sede do Centro Afro e destina recursos para Fundo de Combate ao Racismo

Prefeitura inaugura nova sede do Centro Afro e destina recursos para Fundo de Combate ao Racismo

​​Dotação orçamentária para o fundo municipal atende reivindicação da plenária temática de Igualdade Racial do OP em 2017; nova sede, ao lado da anterior, tem espaço mais amplo
 A Prefeitura inaugurou nesta terça-feira (14) a nova sede do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge”, que continua na Avenida Feijó, no Centro, mas na casa ao lado da anterior (no número 207). O novo espaço é mais amplo e comporta oficinas culturais, desenvolvimento de cursos e exposições, entre outras atividades.No evento, o prefeito Edinho ainda formalizou a destinação de dotação orçamentária para o Fundo Municipal de Combate ao Racismo, prioridade eleita na plenária temática de Igualdade Racial no Orçamento Participativo do ano passado. Foram repassados R$ 250 mil para o desenvolvimento de ações de combate ao racismo — os recursos serão geridos pelo Comcedir (Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo).“O Centro Afro é uma obra de 2006 e que foi uma demanda do Orçamento Participativo. Estou muito feliz que o Centro Afro ganhe esse espaço mais adequado. Não podemos aceitar o preconceito e o racismo como algo normal”, afirmou o prefeito.A presidente do COP (Conselho do Orçamento Participativo), Patrícia Ferreira, disse estar muito satisfeita em participar da primeira entrega de algum investimento votado no OP. “O Orçamento Participativo dá oportunidade para a população gritar, dizer o que cada região ou setor precisa”, concluiu.Edinho ainda recebeu das mãos de Érica Cristina Santos, integrante do Comcedir, o Plano Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo, aprovado em conferência municipal. “As conferências têm que ter peso. Temos que pegar todos os dias o plano e ver o que está acontecendo e o que não está acontecendo”, disse o prefeito.Segundo Érica, o plano foi “elaborado com muito carinho para atender todas as demandas necessárias”. “Contamos com a colaboração de todos para que nos ajudem a construir uma sociedade melhor em Araraquara”, afirmou no evento.ParticipaçãoA secretária de Planejamento e Participação Popular, Juliana Agatte, ressaltou que a população tem voz. “Foi um plano todo deliberado na conferência. O combate à discriminação e ao prefeito está na ‘linha de frente’ do plano municipal. A gente quer que a população participe, nos oriente”, ressaltou.Coordenador de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Luiz Fernando Costa de Andrade comemorou a inauguração do novo espaço. “Novos ares, novas possibilidades. Eu me sinto muito honrado e feliz por esse momento. Queremos que as políticas públicas avancem e a gente consiga ampliar consciências”, pontuou.Representando a Câmara, Edio Lopes (PT) lembrou que o Legislativo aprovou o plano municipal elaborado na conferência e elogiou a nova sede do Centro Afro. “Esse Centro vem para transformar. Parabéns ao prefeito Edinho por essa inauguração e por ter trazido esse debate da questão racial ainda no primeiro mandato”, declarou — foi Edinho quem inaugurou o Centro Afro, em 2006.Josmar Brandão Coutinho, filho do artista plástico Mestre Jorge (que faleceu em 2010), disse que​foiuma honra participar do evento. “Uma das principais virtudes do meu pai era a persistência. Com muita luta, ele transcendeu o preconceito e retratou muito bem a cultura popular africana”, disse Josmar. “O Centro Afro é um espaço de resistência e que valoriza a cultura africana no desenvolvimento do Brasil”, completou.Nova sedeA inauguração do novo Centro Afro integra a programação “Da abolição ao reconhecimento”, que vai até 24 de maio.​A nova sede continua na região central, próxima à Prefeitura, em um espaço térreo com melhor acessibilidade, estrutura física mais versátil, além de locação mais econômica para os cofres públicos.Inicialmente, o espaço irá oferecer oficinas de dança contemporânea, break, youtuber e percussão, em parceria com a Secretaria de Cultura. Em breve, serão desenvolvidos projetos nas linguagens de fotografia e cavaquinho.A nova sede também passou a abrigar o Cursinho Livre Caburé, projeto social autônomo, coletivo e voluntário, totalmente gratuito, voltado à população jovem de baixa renda. O local ainda irá contar com uma afrobrinquedoteca e com o Memorial Sócio-Histórico do Negro de Araraquara, que estão em fase de projeto.​​Serviço:Nova sede do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge”Avenida Feijó, nº 207, Centro(16) 3322-8316