Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 07 / 05 / Estiagem faz aumentar número de queimadas e problemas

Estiagem faz aumentar número de queimadas e problemas

Agente da Defesa Civil faz balanço de ações, que inclui punições contra abandono de terrenos e crimes ambientais
Nesta época do ano, em que diminui drasticamente a incidência de chuvas e, consequentemente, a umidade relativa do ar, Araraquara convive com os riscos de queimadas, a exemplo de muitas regiões do País.A consequência maior das queimadas urbanas e rurais são os grandes prejuízos causados ao meio ambiente, envolvendo a fauna e a flora, segundo o agente da Defesa Civil, ligada à Secretaria Municipal de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública,  Luiz Dell Acqua.Em Araraquara, Prefeitura e Daae (Departamento Autônomo de Água e Esgotos)  desenvolvem uma série de ações afirmativas para o combate e diminuição de incêndios, principalmente na zona urbana.“A vegetação verde perde a umidade com a seca e com isso, junto com outros materiais inflamáveis, como lixo em terrenos baldios, acaba provocando os incêndios, dizimando aves e outros animais e plantas”, explicou Luiz.“Isso tudo sem contar os grandes prejuízos também à saúde da população, principalmente crianças e idosos”, acrescentou o agente da Defesa Civil, durante entrevista, na quarta-feira (4), ao programa ‘Canal Direto com a Prefeitura’, pela TV Web Participativa, na página oficial do Facebook da Prefeitura de Araraquara.O pior de toda essa situação, ainda segundo Luiz Dell Acqua, é que o homem é o responsável direto pelas queimadas, em até 90% dos casos registrados. “Seja de forma criminosa, com a intenção mesmo de atiçar fogo em terrenos baldios, ou com a intenção de deixar esses locais limpos”.PuniçõesÉ importante destacar, de acordo com Dell Acqua, que o Código de Postura do Município, ligada à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, prevê autuação em várias situações, tanto ao proprietário que não cuida do terreno baldio como para quem incendeia deliberadamente o local.Vale destacar que a multa para terreno sujo hoje é de 10 UFMs – Unidades Fiscais do Município -, via Código de Posturas. Depois de queimado, a multa pode atingir de 10 até 5 mil UFMs, em ações do setor de meio ambiente do Daae, segundo o agente da Defesa Civil. O valor da UFM é R$ 53,30.Ações conjuntasLuiz Del Acqua destacou ainda o Plano de Estiagem lançado de maio a setembro, em Araraquara, pela Prefeitura envolvendo diversos órgãos municipais e de outras esferas públicas, como Corpo de Bombeiros e Polícia Florestal. “Com essa articulação de esforços, este Plano visa combater e diminuir a incidências de incêndios no município”, afirmou.Ainda vale destacar que o trabalho de prevenção é realizado já no início de cada ano na cidade, com palestras na rede escolar, além de centros comunitários e nos Cras.A Defesa Civil também está iniciando um trabalho conjunto com o Daae, que inclui a instalação de outdoors pela cidade e a distribuição de panfletos, visando conscientizar a população sobre os riscos das queimadas.Crime ambientalE quem flagrar um incendiário de terreno ou mata pode fazer a denúncia de forma anônima à Polícia Militar (pelo telefone 190) ou à Guarda Municipal (número 153).Segundo Luiz Dell Acqua, se o denunciado for identificado pelas autoridades pode ser autuado pelo crime ambiental.Para o combate de incêndio, basta ligar para o Corpo de Bombeiros, no telefone 193.