Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 09 / 27 / Ações e debates marcam “Setembro Azul” em Araraquara

Ações e debates marcam “Setembro Azul” em Araraquara

No mês de luta das pessoas com deficiência auditiva, cidade oferece palestras sobre mercado de trabalho e sarau literário temáticos
 Um Sarau Literário da Academia Araraquarense de Letras, com interpretação em Libras, neste sábado (29), das 9h30 às 12h, no Museu Voluntários da Pátria (localizado na Praça Pedro de Toledo, no Centro), é uma das ações do “Setembro Azul” em Araraquara, mês de luta pelos diretos das pessoas com deficiência auditiva.Aberto ao público em geral, o sarau também será realizado pelo Instituto Idioma Surdo, com apoio de vários outros parceiros.Outra ação será realizada no dia 5 de outubro, no Centro Internacional de Convenção, com palestras e debates sobre mercado de trabalho nas áreas de TI (Tecnologia da Informação) e RH (Recursos Humanos), também direcionados a pessoas com deficiência auditiva.Em entrevista ao programa ‘Canal Direto com a Prefeitura’, na terça-feira (25), a assessora especial de Políticas para Pessoa com Deficiência (vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular), Elisa Santos, explicou a importância do “Setembro Azul” em todo o País.Vale destacar que a data de 26 de setembro é lembrada em todo o Brasil como o “Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Auditiva ou Surda”. A pessoa é considerada surda quando não consegue ouvir em hipótese alguma.Segundo Elisa, o “Setembro Azul” teve origem durante a 2ª Guerra Mundial, nos anos de 1940. “As pessoas com deficiência, incluindo a auditiva, eram identificadas por uma faixa azul e a cor permanece até hoje. Como símbolo de luta das pessoas com deficiência pelos seus direitos”, afirmou.VisibilidadeA assessora ressaltou que a pessoa com deficiência auditiva não aparenta sua condição, pois não se trata de uma deficiência visível, e isso pode provocar atos de desrespeito por pessoas sem deficiência. “Quem tem uma deficiência não visível merece todo o respeito da sociedade já que a prova da deficiência, no caso da surdez, é o uso da Libra para se comunicar”, explicou.A assessora ainda afirmou que a Lei 8.213/91 obriga que empresas com mais de 100 funcionários destinem até 5% das vagas para pessoas com deficiência.“A gente sempre busca o diálogo com as empresas, inclusive expondo a importância de capacitar essas pessoas para o mercado de trabalho”, acrescentou Elisa, complementando que atualmente em Araraquara 46 empresas cumprem a legislação.Sobre o dia 5 de outubro, quando, das 8h30 às 13h, no Centro Internacional de Convenção, serão ministradas duas palestras temáticas, sobre TI e RH, pela inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, Elisa Santos ressaltou que empresas poderão cadastrar pessoas com deficiência para futuras contratações.“Será importante também que empresas com menos de 100 funcionários entendam a importância de uma pessoa com deficiência estar inserida no mercado de trabalho”, enfatizou.ReversãoAinda segundo Elisa, para conseguir um aparelho que permite audição à pessoa surda, é preciso que seja feito o encaminhamento ao Centro Especializado em Reabilitação ‘Dr. Eduardo Lauand’ para o teste de audiometria.“A audimetria é importante para detectar que tipo de aparelho usar. Se ainda for uma criança, a possibilidade de reversão da surdez é maior com o tratamento precoce, o que pode até eliminar o uso do aparelho e a comunicação em Libras em outras fases da vida”, destacou Elisa.Canal aberto e diretoVale sempre lembrar que o programa ‘Cana Direto com a Prefeitura’ vai ao ar, ao vivo, de segunda a sexta-feira, às 18h30, pela TV Web Participativa, na página oficial do Facebook da Prefeitura de Araraquara, sempre com um representante do governo.Durante cerca de dez minutos, o entrevistado interage com os internautas sobre as ações e programas desenvolvidos pela administração municipal.