Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 09 / 27 / Prefeitura e FUNAP fazem parceria para projeto de reinserção social

Prefeitura e FUNAP fazem parceria para projeto de reinserção social

Depois dos Centros de Ressocialização, masculino e feminino, desta vez, parceria irá dar uma nova oportunidade para reeducandos do regime fechado; solenidade de assinatura do contrato será nesta sexta (28), às 9h30, na Penitenciária
A Prefeitura de Araraquara, a Penitenciária “Dr. Sebastião Martins Silveira” por meio da Funap (Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel) assinam nesta sexta-feira (28) uma parceria que viabiliza oportunidade de reinserção social aos reeducandos. A solenidade será às 9h30, na própria Penitenciária.Pela primeira vez, a parceria da Prefeitura com a SAP (Secretaria Estadual da Administração Penitenciária) contempla os reeducandos do regime fechado. Já existem parcerias em andamento com homens e mulheres do regime semiaberto dos Centros de Ressocialização.As atividades serão desenvolvidas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com uma hora de intervalo para almoço. As áreas de atuação serão serviços gerais, manutenção, jardinagem, trabalho braçal, eletricista, pedreiro, servente e carpinteiro. Os reeducandos irão trabalhar sob supervisão, uniformizados e com tornozeleira eletrônica.O contrato prevê que até cem internos, selecionados pela Penitenciária e pela Funap e autorizados pela Justiça, sejam beneficiados. Para isso, eles precisam cumprir a jornada de trabalho estabelecida, ser assíduos e pontuais, tratar a todos com respeito e cumprir orientações de segurança e medicina do trabalho.Toda a parceria foi elaborada pelo prefeito Edinho, juntamente com a coordenadora de Recursos Humanos, Flávia Dótolli, Procuradoria Municipal, além do próprio diretor da Penitenciária, Rodrigo Redivo e contou com ampla participação do juiz e coordenador do Departamento Estadual de Execução Criminal (Deecrim) da 6ª Região Administrativa Judiciária, Dr. José Roberto Bernardi Liberal.Desde o início da atual administração, os contratos de parceria com os Centros de Ressocialização já atenderam cerca de 50 reeducandos e 30 reeducandas, oferecendo a chance para presos do regime semiaberto, avaliados por profissionais de psicologia e assistência social, poderem voltar ao convívio social e facilitar a volta ao mercado de trabalho, por meio de cursos de qualificação profissional.“O erro não impede que a pessoa recomece a vida. Todo mundo tem o direito de recomeçar a vida. Se as pessoas encontrarem só portas fechadas, a possibilidade de errarem novamente, e voltarem [a cumprir pena] é maior”, afirma o prefeito Edinho.