Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 10 / 02 / Edinho acompanha atuação de reeducandos em projeto de reinserção social

Edinho acompanha atuação de reeducandos em projeto de reinserção social

Reeducandos da Penitenciária que integram o Prefeitura nos Bairros colaboraram com a limpeza do trecho da Via Expressa próximo ao Terminal Rodoviário, nesta terça (2)
 O prefeito Edinho acompanhou a atuação de reeducandos da Penitenciária de Araraquara no projeto de reinserção social em parceria com a Prefeitura, na tarde desta terça-feira (2), no início da Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, a Via Expressa (no trecho próximo ao Terminal Rodoviário).Esses 15 reeducandos estão atuando no programa “Prefeitura nos Bairros”, que melhora a zeladoria e a sinalização nos bairros de Araraquara. Outros quatro estão no Bosque do Jardim Botânico, cinco no Parque do Basalto e quatro no Ginásio da Pista, totalizando 28 reeducandos que começaram no projeto na segunda (1º).“São pessoas que cometeram algum ato infracional, mas, segundo o juiz da Vara de Execuções Criminais, as assistentes sociais do sistema prisional, as psicólogas e psicólogos, são reeducandos que têm condições de restabelecer relação profissional. Esse projeto estende a mão, cria oportunidade para quem cometeu algum erro, e está pagando por esse erro, mas merece uma outra oportunidade na vida”, declarou o prefeito.“Eu acredito neste projeto. Eu acredito que quem cometeu erro merece uma segunda chance, ter a oportunidade de recomeçar. Na vida, todo mundo erra. Esses homens e mulheres também, mas isso não significa que nunca mais possam voltar ao convívio social. Enquanto eu for prefeito, quero construir uma cidade que seja solidária, humana, que saiba perdoar”, complementou.A parceria entre Prefeitura, Penitenciária e Funap (Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel) foi assinada na última sexta-feira (28) e autorizada pelo juiz José Roberto Bernardi Liberal, do Departamento Estadual de Execução Criminal da 6ª Região Administrativa.O projeto contempla os reeducandos do regime fechado, algo considerado inédito pelos especialistas do setor. Também já existiam parcerias em andamento com homens e mulheres do regime semiaberto dos Centros de Ressocialização.