Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 10 / 24 / Reunião discute elaboração do 1º Plano Municipal de Políticas para Mulheres

Reunião discute elaboração do 1º Plano Municipal de Políticas para Mulheres

Documento está sendo elaborado com base nas 22 diretrizes estabelecidas durante a 5ª Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres
Integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher se reuniram nessa terça-feira (23) com representantes de diferentes secretarias municipais e diversos segmentos da sociedade civil para a construção do Plano Municipal de Políticas para Mulheres.De acordo com a secretária do Conselho, Roberta Pereira, o documento está sendo elaborado com base nas 22 diretrizes estabelecidas durante a 5ª Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, realizada em novembro do ano passado. Depois de concluído, o Plano deve ser submetido à Câmara Municipal para aprovação e será válido para os próximos quatros anos.“Este será o primeiro Plano Municipal de Políticas para Mulheres de Araraquara. Daí a importância de planejarmos as ações por meio do diálogo com a sociedade, a fim de entender suas necessidades e pactuar com todos os atores interessados, incluindo o poder público e a sociedade civil organizada”, ressalta Roberta.As diretrizes que norteiam a elaboração do documento estão elencadas na Lei Municipal nº 9263 de 9 de maio de 2018, e integram quatro eixos: Direito à cidade; Saúde da mulher; Educação; Geração de trabalho e renda; e Combate à violência contra a mulher.O Conselho da Mulher foi empossado pelo prefeito Edinho em agosto do ano passado e, desde então, tem trabalhado no sentido de formular e fiscalizar políticas públicas para mulheres. O grupo é composto por 42 integrantes, incluindo representantes do poder público, entidades governamentais e representantes da sociedade civil.As próximas reuniões do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher serão realizadas nos dias 26 de novembro e 17 de dezembro, às 18h, na Casa dos Conselhos (localizada na Av. Portugal, 583, no Centro), e são abertas à população, em especial aos segmentos da sociedade ligados ao movimento de mulheres no município. “Desde já fica o convite a todas as mulheres que gostariam de participar desse processo conosco”, pontua Roberta.