Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2018 / 11 / 05 / Treinamento capacita profissionais da saúde para ações voltadas ao trabalhador rural

Treinamento capacita profissionais da saúde para ações voltadas ao trabalhador rural

Capacitação possibilita que as equipes de saúde possam identificar os fatores de risco para as doenças ocupacionais o mais precocemente possível
 O Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador) de Araraquara promove no dia 9 de novembro uma capacitação para profissionais da saúde sobre o “Protocolo Clínico 1: Trabalhador Rural e Trabalho Pesado a Céu Aberto”. O evento é realizado em parceria com o Grupo de Vigilância Sanitária XII e o DRS III (Departamento Regional de Saúde), órgão do Estado de São Paulo sediado em Araraquara.O curso acontece no Cefor (Centro Formador de Pessoal para a Saúde), das 8h às 16h, e é voltado aos profissionais das Vigilâncias Epidemiológica e Sanitária, às equipes de ESF (Estratégia de Saúde da Família) e das UBS (Unidades Básica de Saúde), além de trabalhadores de hospitais e de pronto atendimento, entre outras unidades de saúde.A capacitação possibilita que as equipes de saúde possam identificar os fatores de risco para as doenças ocupacionais o mais precocemente possível.O evento tem como palestrantes os especialistas Marcelo Pustiglione e Silvana Tognini, da DVST (Divisão de Vigilância Sanitária do Trabalho) do Cerest Estadual.As inscrições devem ser feitas pelo e-mail cerest@araraquara.sp.gov.brProtocoloO Protocolo Clínico 1, lançado em 2017 pela DVST, tem como objetivo o estabelecimento da relação entre o adoecimento e o processo de trabalho nas práticas de vigilância em saúde, contribuindo para o conhecimento das doenças e dos agravos. Dessa forma, a iniciativa possibilita o estabelecimento de ações de prevenção e busca melhoria da segurança, saúde e qualidade de vida para os trabalhadores.A partir do protocolo, os profissionais da saúde – em especial aqueles que integram as equipes de atenção primária e em urgência/emergência – poderão notificar adequadamente o Sinan (Sistema Nacional de Agravos de Notificação) e, quando for o caso, comunicar o acidente ou a doença do trabalho à Previdência Social, além de dar encaminhamento adequado ao caso.