Você está aqui: Página Inicial / importação / noticias / 2019 / 01 / 15 / Prefeitura vai endurecer na fiscalização nos bolsões de entulho e aumentar serviço

Prefeitura vai endurecer na fiscalização nos bolsões de entulho e aumentar serviço

Objetivo é impedir despejo irregular de lixo e entulho nas áreas em mananciais
 A Prefeitura de Araraquara está propondo mudanças nas regras de utilização dos chamados Pontos de Entrega de Volumosos (PEV), os conhecidos bolsões de entulho, que são áreas adaptadas para receber pequenos volumes de entulhos ou materiais volumosos.Atualmente, 8 bairros contam com bolsões, que são de responsabilidade do DAAE:   Victório de Santi, Santa Lúcia,  São Gabriel, Parque São Paulo, Jardim Capri, Santa Angelina, Igaçaba e Selmi Dei.Com os bolsões, o descarte desses materiais pode ser feito sem agredir o meio ambiente e sem por em risco a saúde das pessoas. No entanto, muita gente ainda insiste em despejar este tipo de material em áreas de mananciais, áreas públicas e privadas.“Nós temos que pensar no desenvolvimento de Araraquara, mas com sustentabilidade, para que possamos preservar nosso meio ambiente. Criei os bolsões há muitos anos, no meu primeiro mandato, para que a população tenha um local para levar desde os resíduos de uma pequena reforma até aq7ele utensílio que não serve mais. Mas nossa avaliação, é que algo está errado, porque muitas pessoas, ao invés de levar estes materiais pata áreas dos bolsões, estão despejando em áreas de mananciais, destruindo nossos rios e córregos, destruindo nossa água, no caso do Ribeirão das Cruzes. Por isso, estamos propondo, junto com o DAAE, que é o gestor ambiental do município, que seja repensado a política de gestão dos bolsões”, declarou.Neste sentido, segundo o prefeito Edinho, o objetivo agora é endurecer a fiscalização contra o depósito irregular de entulho, móveis, lixo e inservíveis em terrenos e proximidades de mananciais, ao mesmo tempo em que a Prefeitura pretende criar mais bolsões em bairros que ainda não contam com o serviço e também aumentar a quantidade de material permitida por pessoa que hoje é até 1 metro cúbico – isso equivale ao que pode ser transportado por uma carroça ou veículo utilitário tipo caminhonete de pequeno porte.  Isso gratuitamente.“Estamos estudando ainda como serão feitas essas alterações Já solicitamos mudanças na legislação ao presidente da Câmara, o vereador Tenente Santana; pedi para que ele lidere no Legislativo essa mudança. O objetivo é impedir tamanha agressão ao meio ambiente. E esse descaso coloca também em risco a vida das pessoas, principalmente porque entulho é sinônimo de criadouro do mosquito da dengue. Vamos endurecer a fiscalização, mas também levar o serviço a outros bairros”, concluiu o prefeito.