NOTÍCIAS

Voltar

200 anos: Araraquara, de novo, mais inclusiva e participativa

8 de janeiro de 2018


O ano de 2017, que marca o aniversário de 200 anos de Araraquara, foi de reconstrução das políticas públicas e de programas sociais pela Prefeitura. Com participação da população e democratização na escolha do que é prioridade em investimentos, o prefeito Edinho Silva (PT) e seus secretários buscaram ‘colocar ordem na casa’ e retomar os serviços essenciais aos moradores da cidade.

Por meio de uma retrospectiva mês a mês do ano de 2017, a Secretaria de Comunicação listou as principais ações da administração municipal, que permitem acompanhar a atuação não só do prefeito Edinho mas também de todos os secretários e integrantes do  Governo, que está disponível no link:

http://www.araraquara.sp.gov.br/balanco2017/.

 Como grande exemplo está a Saúde. Um dos grandes ‘gargalos’ no início do ano, o setor passou por profundas transformações e deixou de figurar nas páginas policiais. As três UPAs (unidades de pronto atendimento Central, da Vila Xavier e do Valle Verde) estão com quadro médico preenchido e atendimento elogiado pela população.

 No segundo semestre, o programa “Saúde Cidadã” foi lançado e reduziu significativamente as filas por exames e cirurgias eletivas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Em alguns casos, os pacientes aguardavam por até cinco anos para conseguir uma cirurgia.

 Com empenho da Prefeitura, da Santa Casa, da Maternidade Gota de Leite, apoio do Ministério da Saúde e recursos de emendas destinados por deputados federais, foram realizadas 1.408 mamografias e 2.597 ultrassonografias apenas entre outubro e novembro – o programa continua.

Entre setembro e novembro, também foram realizadas 170 cirurgias eletivas em pacientes que aguardavam na fila de espera: 53 de hérnia, 27 de vesícula, 13 laqueaduras, 16 ginecológicas, 19 pediátricas, 4 ortopédicas e 38 de outras especialidades. “Pessoas estavam havia dois, três, quatro anos na fila. Investimos R$ 1,5 milhão para dar dignidade a essa população”, afirmou o prefeito Edinho.

 Também no estilo ‘mutirão’, uma parceria com a ONG Jornada da Saúde e a Associação de Amigos e Ex-alunos da Faculdade de Medicina de Santo Amaro realizou 660 atendimentos (consultas, exames e cirurgias) apenas em um final de semana. A recepção da população foi muito positiva.

 Outro problema enfrentado era a falta de remédios nos postos de saúde dos bairros. Até julho (último balanço divulgado), foi investido o dobro do valor em medicamentos em relação ao ano passado — R$ 3.192.765,72 em 2017 contra R$ 1.593.514,07 em 2016 (100,3% a mais). Em compensação, os remédios em falta caíram de 32% do total para 9%.

 Os números ainda mostram um fortalecimento da rede básica de saúde e queda nas internações. As consultas em postos de saúde saltaram de 171.925 a 202.210, enquanto as internações caíram de 3.942 para 3.881 na Santa Casa e de 1.898 para 1.861 na Maternidade Gota de Leite.

 “Atendendo melhor nos bairros e dando maior resolubilidade nas UPAs, as internações diminuem. Isso é reflexo da melhoria na qualidade da Saúde. A gente repôs as equipes que estavam precisando de profissionais”, disse a secretária de Saúde, Eliana Honain.

Participação popular

 A participação popular também foi um dos marcos da gestão do prefeito Edinho em 2017. Com a volta do Orçamento Participativo, o OP, os moradores de todos os bairros de Araraquara votaram quais eram as prioridades de investimento em cada região e em setores específicos, como Idosos, LGBT e Pessoas com Deficiência.

 Em novembro, a Prefeitura entregou à Câmara a LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2018 incluindo R$ 17,9 milhões para investir nas 18 obras aprovadas nas plenárias (nas 11 regionais, oito escolheram investimentos na Educação, duas em Obras e Serviços Públicos e uma em Meio Ambiente). Somando todas as reuniões nos bairros, a participação chegou a 8 mil pessoas.

 “Esse Orçamento não saiu da minha cabeça. É fruto de amplo debate com a população de Araraquara em todas as regiões e reflete o que a população está sentindo e escolheu como prioridade”, salienta o prefeito.

 E a democratização das ações do governo não parou por aí. Foi formado o COP (Conselho do Orçamento Participativo) com representantes de todas as regiões para acompanhar o andamento das obras desde o planejamento até a execução. O ano também foi de reestruturação dos conselhos municipais e de realização de conferências para ouvir a população e definir diretrizes para os próximos quatro anos.

Transparência

Neste ano, Araraquara também presenciou uma ‘revolução’ na transparência e na proximidade entre o poder público e a sociedade nos mais variados canais de comunicação.

 Pelo Facebook da Prefeitura, são divulgados notícias, campanhas educativas e um programa diário, ao vivo, entrevistando algum secretário, coordenador, gestor ou o próprio prefeito Edinho. As perguntas enviadas pelos internautas são respondidas no mesmo momento.

 Já no site, toda a agenda diária do prefeito Edinho, dos secretários e do restante do governo é publicada. Também são postados os atos oficiais, com todas as leis, decretos, portarias, resultados de concursos e outros documentos de interesse do município.

Social e zeladoria

O primeiro ano do terceiro mandato de Edinho ainda contou com a retomada das Escolinhas de Esportes (que atendem 7 mil crianças) e das Oficinas Culturais nos bairros.

 “As Oficinas Culturais nos bairros são uma grande oportunidade de democratização da cultura. O número de alunos atendidos cresceu neste ano, chegando a 1,5 mil, mas nosso objetivo, no mínimo, é voltar aos 3 mil, como era no final do meu segundo mandato em 2008”, disse Edinho.

 Araraquara também está melhor cuidada. Durante o ano, o “Prefeitura nos Bairros” levou os serviços administrativos da Prefeitura e as equipes de Obras e Serviços Públicos e Trânsito a todos os cantos de Araraquara.

 No segundo semestre, o Executivo ainda lançou o programa “Ilumina Araraquara”, que consiste em instalar novas luminárias de LED em praças e vias públicas onde a iluminação noturna é antiga, deficitária ou inexistente. A iluminação LED tem maior durabilidade, gasta menos energia elétrica e aumenta a visibilidade e a segurança de pedestres e motoristas.

 “As vias terão iluminação muito mais clara, o que também melhora a segurança pública”, destaca Edinho. O governo também retomou programas sociais importantes para a população que mais precisa como o Frentes da Cidadania (apoio na recolocação no mercado de trabalho por meio de qualificação profissional) e Jovem Cidadão (estágio remunerado na administração pública para jovens do ensino médio, técnico e superior).

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis