NOTÍCIAS

Voltar

200 anos: Processo dos Britos e primeiras atas da Câmara são digitalizados

28 de agosto de 2017


Nos 200 anos de Araraquara, a cidade ganha a digitalização de importantes documentos, necessários para o melhor entendimento da história. Um evento na manhã desta quinta-feira (31), às 9h30 , irá marcar a entrega: o prefeito Edinho Silva receberá o material no Arquivo Público Histórico Professor Rodolpho Telarolli.

Os materiais digitalizados dizem respeito ao processo histórico da morte dos Britos e também às Primeiras Atas Históricas da Câmara, dos anos de 1839 até 1936, que estão no Arquivo Público Histórico.

Todo o processo de digitalização se originou a partir da Coordenadoria de Preservação do Patrimônio Histórico. Fabiana Virgílio, coordenadora da área, começou a buscar parcerias para prover a digitalização e contou com a parceria privada com a Empresa Safebox e outra pública com a Câmara Municipal, as quais visualizaram nos 200 anos de Araraquara, a oportunidade de presentear a cidade, garantindo que as gerações que virão possam ter acesso a esse material.

“A digitalização preserva os documentos para as futuras gerações. A ideia é que a comunidade possa conhecer os fatos e os eventos do passado e, assim, fortalecer a cultura local, refazendo a memória e discutindo ideias com um olhar crítico, na busca por uma sociedade democrática”, aponta Fabiana.

Para ela, a digitalização é uma maneira de contribuir para evitar a perda das informações contidas nos documentos. “Muitos deles representam a memória e patrimônio cultural, já que podem ser de grande importância para o entendimento de fatos históricos da sociedade”.

 

Digitalização – A empresa Safebox – especializada em arquivamento e digitalização – é a responsável pela digitalização do processo histórico da morte dos Britos. O documento, com mais de 600 páginas, devido às constantes consultas da população estava em mau estado de conservação.

De acordo com a empresária Tânia Rosas Nascimento, a documentação – sob guarda do Acervo Municipal – passou por um criterioso serviço de manutenção e digitalização para o resguardo e a preservação da memória desse processo. “É importante participarmos de um momento de celebração tão significativo como os 200 anos de Araraquara”, disse.

Segundo Fabiana, a digitalização por meio da Safebox propicia o início de uma nova trajetória para o patrimônio histórico. “É um presente grande possibilitar que as pessoas acessem esse processo de suas casas, e poder tirá-lo do manuseio para garantir que a gente preserve a memória para salvaguardá-la”, analisou a coordenadora.

A secretária municipal da Cultura, Teresa Telarolli, lembra que o processo dos Britos faz 120 anos neste ano de bicentenário da cidade. “Este processo é uma marca, uma cicatriz que a cidade tem. É importante e extremamente relevante, pois não há como estudar a história da cidade sem conhecer com relativa profundidade este processo. Por isso, a iniciativa da Safebox é inestimável e proporciona a democratização do acesso às informações para qualquer pessoa do mundo”.

A secretária da Cultura lembra que a outra iniciativa de digitalização conta com o apoio da Câmara de Araraquara. “A Câmara realizou a digitalização de todas as Atas Históricas que estão no Arquivo Público Histórico”, aponta. “São registros manuscritos que compreendem o período de 1839 a 1936 e que estão guardados no Arquivo Público Histórico Prof. Rodolpho Telarolli, localizado na Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa”.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Jeferson Yashuda, autorizou a digitalização destas Atas Históricas. Foram digitalizados 17 livros que totalizam 2.277 páginas. Os documentos remontam ao período do Império e à primeira República. Vale destacar que os documentos, a partir da 1ª Legislatura iniciada em 1948, pós-Estado Novo, já estão digitalizados e disponíveis no site da Câmara Municipal.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis