Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2019 / Abril / 08 / Segurança Alimentar e Agricultura desenvolvem projeto no Lar Nossa Senhora das Mercês

Social

Segurança Alimentar e Agricultura desenvolvem projeto no Lar Nossa Senhora das Mercês

Parceria oferece oficinas culinárias de panificação voltadas para mulheres em situação de vulnerabilidade
Panificação_2.jpeg

 

Por meio do Núcleo de Educação Alimentar e Nutricional, a Coordenadoria de Segurança Alimentar, ligada à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, oferece neste mês um ciclo de oficinas culinárias de panificação no Centro de Convivência da Criança e do Adolescente Nossa Senhora das Mercês.

A primeira das três oficinas foi realizada no dia 3 de abril, quando foram ensinadas receitas de pães caseiros e de forma, além de rosca doce. Na sequência, nesta quarta (10), serão elaborados esfirras, tortas e bolos, visando ao aproveitamento integral dos alimentos. No dia 17 de abril, o ciclo se encerra com orientações sobre higiene e manipulação, custos e rotulagem.

O público alvo são mulheres em situação de vulnerabilidade social no município, selecionadas pela própria entidade. As oficinas ocorrem das 18h às 22h.

O projeto é realizado em parceria com a Fundação Banco do Brasil, firmada a partir da elaboração de projeto desenvolvido pela equipe técnica da Coordenadoria de Agricultura junto com o Lar Nossa Senhora das Mercês. A Coordenadoria de Segurança Alimentar participa da parceria com a realização das oficinas de panificação.

Segundo a coordenadora municipal de Agricultura, Silvani Silva, o escopo do projeto é bastante amplo. “Inclui a implantação de um sistema de aquaponia para produção de peixes, integrada com a produção de hortaliças e de técnicas de compostagem no Centro de Convivência da Criança e do Adolescente Nossa Senhora das Mercês”, afirma Silvani.

 



“As oficinas de panificação fazem parte da promoção de Segurança Alimentar e Nutricional abrindo, ainda, a possibilidade de geração de renda para os beneficiários”, enfatiza o coordenador de Segurança Alimentar, Marcelo Mazeta.

Eficácia

A coordenadora da instituição, Irmã Cida, ressalta que a entidade atende hoje em Araraquara 137 crianças e adolescentes, de ambos os sexos.

Irmã Cida lembra que a entidade está localizada em um bairro populoso, com indicadores expressivos de exclusão e vulnerabilidade social e que, por isso, as oficinas são de extrema importância para reverter esse cenário.

A coordenadora destaca ainda que a piscicultura praticada em pequena escala, quando usada para alimentar diretamente quem produz, além do aspecto didático, é uma alternativa eficaz contra a fome e a miséria no País.

registrado em: ,