Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2019 / Dezembro / 26 / Edinho: “Buscamos uma cidade igualitária, justa e com participação popular”

Notícias

Edinho: “Buscamos uma cidade igualitária, justa e com participação popular”

Prefeito faz balanço do mandato em 2019 e promete muito trabalho para o próximo ano. “A entrega será total, um sacerdócio na prestação de serviço público”
Balanço de 2019 para a Rádio Web ParticipAtiva da Secretaria Municipal de Comunicação de Araraquara.jpg

 

O prefeito Edinho recebeu a Rádio Web ParticipAtiva, da Secretaria de Comunicação da Prefeitura para um balanço sobre o trabalho realizado em 2019. Dentre os destaques, a criação e fomento aos programas sociais dedicados à população que mais precisa, em situação de extrema vulnerabilidade social. Também destacou as obras entregues e em andamento definidas pela população no Orçamento Participativo e o esforço da Prefeitura na recuperação asfáltica e de zeladoria da cidade. Esporte, cultura e segurança também estiveram em pauta.

Confira abaixo a entrevista na íntegra
(entrevista também pode ser conferida em áudio no clicando aqui)

 
Rádio Web Participativa: Quais foram os principais desafios da sua gestão em 2019?

Edinho Silva: Difícil enumerar desafios. A Prefeitura de Araraquara exige uma série de medidas e esforços para que a gente possa, primeiro, recuperar a capacidade de gestão da Prefeitura, o que é nítido, e a população de Araraquara inteira sabe a situação que nós herdamos a Prefeitura. A recuperação da capacidade de gestão para que a Prefeitura volte a funcionar exige uma série de medidas. Medidas da perspectiva de reorganização administrativa; medidas para que a gente possa equilibrar as finanças da Prefeitura; medidas para que a gente recupere a capacidade de manutenção da cidade, que hoje, é sem dúvida alguma, um dos principais desafios da cidade; medidas para que a gente possa enfrentar a situação econômica e social do município, pois o país vive uma crise econômica e a consequência dessa crise é o desemprego, que leva ao empobrecimento, à miséria, à desorganização das famílias, à desorganização social, à vulnerabilidade da criança do adolescente, enfim, eu não conseguiria enumerar um desafio.

Eu diria que nós estamos vencendo as dificuldades enfrentadas pela Prefeitura e que estamos tomando todas as medidas necessárias para que Araraquara seja uma cidade com capacidade de responder aos seus problemas, principalmente na área de manutenção da pavimentação asfáltica, porque a cidade ficou muito tempo sem uma política de recuperação da pavimentação asfáltica e hoje isso é um problema. Nós estamos recapeando a cidade e trabalhando muito para recuperar essa capacidade de manutenção. A população de Araraquara tem acompanhado todo nosso esforço para recuperação da pavimentação asfáltica. De 2017 para cá, nós já recuperamos quase 500 quarteirões com recapeamento em Araraquara e só em 2019 foram 276 quarteirões e isso não é pouca coisa. Isso mostra o nosso esforço. Também intensificamos as operações de tapa-buraco, intensificamos a limpeza da cidade, enfrentamos a dengue, que foi um problema grave que a cidade passou esse ano de 2019 e que, infelizmente, nós tivemos cinco óbitos. Infelizmente, a cidade teve que passar por isso, mas nós criamos uma estrutura de atendimento da população com dois Centros de Atendimento, um na rua 5 e outro ao lado da UPA Central, no CEAR, para que a gente pudesse, no primeiro momento, oferecer atendimento com dignidade à população. Depois criamos um programa de enfrentamento a essa situação para que a cidade não passe mais por isso, mas, claro, nós vamos precisar muito do apoio dos moradores de Araraquara, pois 80% dos criadouros do mosquito Aedes estão dentro das residências. Portanto, se nós não tivermos a compreensão e apoio dos moradores de Araraquara essa luta fica muito difícil. A dengue foi um dos grandes problemas enfrentados 2019, junto com desemprego, com os problemas sociais que o desemprego provoca, junto também com toda a dificuldade de manutenção da cidade que nós temos enfrentado, mas que estamos respondendo. Estamos limpando, estamos fazendo recape, estamos fazendo o tapa-buraco, estamos vencendo toda essa situação.

Rádio Web Participativa: Para vencer todos esses desafios, 2019 foi marcado pelo lançamento de programas sociais muito importantes, entre eles o "Bolsa Cidadania", o "Minha Morada", o "Apoiadores no Combate à Dengue". Como você avalia essas conquistas da população na área social? Você considera que Araraquara organizou um colchão social, especialmente neste momento de crise econômica que o país vive com muitos desempregados?

Edinho Silva: Nós tentamos vivenciar aquilo que a gente fala o tempo todo. É que Araraquara é uma cidade mais solidária, uma cidade mais humana, então nós procuramos fazer com que Araraquara vivenciasse essa solidariedade, que nós não virássemos as costas ao desemprego, à pobreza, à desorganização familiar que o desemprego provoca. Nós não apenas criamos programas importantes, intensificamos programas importantes que já existiam, como a retomada do programa "Jovem Cidadão", o programa de estágio remunerado na Prefeitura e em orgãos públicos da cidade, para que o estudante se mantenha na escola, tanto no ensino médio, como no ensino técnico e superior. Atendemos até agora 250 jovens que poderiam ter abandonado o ensino. A Prefeitura, além de uma bolsa-auxílio, que garante a esse jovem se manter na escola, muitas vezes garante também o acesso ao primeiro emprego desses jovens, que na maioria das vezes não haviam trabalhado.

O programa "Apoiadores no combate à dengue", de fato, é um programa muito importante, que nos ajuda muito no combate à dengue. Já são 400 famílias atendidas, famílias que estão em situação de vulnerabilidade social muito grande, mas que hoje recebem um salário, que trabalham no combate à dengue e a prefeitura os ajuda a superar essa dificuldade imensa que o desemprego provoca neste momento da vida dessas famílias.

O "Bolsa Cidadania", foi um projeto que criou uma polêmica na cidade de Araraquara, polêmica que não deveria nem ter existido, pois ele é um programa de segurança alimentar, onde a prefeitura oferece uma ajuda para que as famílias possam ter o mínimo do mínimo, que é alimentação, nesse momento de desemprego de pobreza que nós estamos vivendo. Em troca desse auxílio, essas famílias estão inseridas em cursos de qualificação profissional e estão se preparando, se capacitando para retornarem ao mercado de trabalho.

Também intensificamos, este ano, o "Frentes da Cidadania", o que nós chamamos de PIIS (Programa de Incentivo à Inclusão Social). Nele, atendemos 163 famílias em extrema vulnerabilidade social. No último dia 20, durante o Café da Manhã Solidário que nós fazemos anualmente com essa população, tivemos relatos lindos, cenas de pessoas que saíram das ruas por conta desse programa. Pessoas que estavam no álcool, na droga, flertando com a criminalidade, hoje estão trabalhando, moram na casa transitória ou já alugaram imóveis. Essas pessoas estão reconstruindo suas vidas.

O PMAIS (Programa Municipal da Agricultura de Interesse Social), onde a prefeitura compra do pequeno produtor da região, geralmente dos assentamentos rurais, e esses alimentos são doados para famílias que mais precisam da nossa cidade. Incentivamos o pequeno produtor familiar e combatemos a fome.

O "Minha Morada", é um programa de lote urbanizado, que também gerou muita polêmica infundada. Como o Governo Federal acabou com o "Minha Casa, Minha Vida - faixa 1", que atendia  famílias com rendas mais baixas, e até o momento nada foi implantado no lugar, a Prefeitura criou um programa habitacional para atender à pessoas que não conseguem se enquadrar nas faixas 2 e 3 do programa federal que ainda existem, pois exigem uma certa renda, exigem valores de entrada, exige que a pessoa não esteja negativada e muitas das vezes, famílias que estão em situação de vulnerabilidade, não atendem a esses critérios. Nós criamos o programa "Minha Morada", que são lotes urbanizados, para que a gente possa suprir essa deficiência que hoje existe em relação à moradia popular em Araraquara. A prefeitura financia, subsidia o lote, oferece o projeto, oferece assistência técnica e em troca a família constrói a sua casa de forma modular, começa a construir um, dois, três cômodos e depois constrói o restante do projeto. E a gente sabe que é assim que as famílias constroem nos bairros. As pessoas, muitas vezes, compram o terreno com muita luta, mas hoje nós temos milhares de famílias que não têm renda para comprar um lote, então a Prefeitura vai subsidiar o terreno e a família junta os amigos, os parentes e acaba, aos poucos, construindo a sua morada. Em 2019, de fato, programas sociais foram importantes para que a gente possa fazer de Araraquara uma cidade mais justa e mais humana.

Rádio Web Participativa: E ainda, nesse sentido, a Prefeitura também investiu nas políticas de reinserção de pessoas privadas de liberdade e egressas do sistema prisional no mercado de trabalho. É uma das marcas do seu governo a reinserção social dessa população. O quanto essa questão já avançou e quanto ainda deve avançar em 2020?

Edinho Silva: Esse é mais um assunto polêmico, pois a sociedade, muitas vezes, não aceita que o poder público ofereça uma segunda chance a quem foi privado de liberdade, que cometeu algum crime e que pagou por ele. Eu acredito muito na segunda chance. As pessoas, as famílias, têm o direito de recomeçar suas vidas. Eu não acredito que quem errou uma vez mereça ser alijado definitivamente da sociedade, pois isso significaria a pena de morte. E eu não acredito na pena de morte, só Deus da a vida, só Deus tem direito de tirá-la. Eu não comungo dessa ideia, eu acredito na segunda oportunidade e esse programa, em sintase, é isso. Ele oferece o direito ao trabalho, para que tá apenado, ou seja, que estão cumprindo pena, seja nos CERs (Centro de Ressocialização Feminino e Masculino), seja na Penitenciária. E é um programa que está dando muito certo, eu encontro as famílias desses presos e elas são gratas, pois a Prefeitura está dando a oportunidade deles reconstruírem suas vidas.

Rádio Web Participativa: Foi um ano de entrega de investimentos que atendem demandas eleitas no Orçamento Participativo, o OP. Quais foram as principais obras entregues?

Edinho Silva: A maioria das obras foram eleitas pelo OP. Algumas obras nós fizemos por algum problema não foi possível esperar pelo Orçamento Participativo para resolver, como foi o caso do CER Cyro Guedes Ramos, onde nós tivemos uma infestação de escorpiões, que colocava em risco as crianças. Tivemos que interditar o CER, fazer uma reforma onde trocamos toda a tubulação, toda a rede de esgoto, para que impedíssemos que os escorpiões invadissem no CER. Como nós estávamos mexendo no prédio e ele apresentava vários outros problemas, nós acabamos fazendo a reforma e a ampliação, junto com as adequações.

As demais obras entregues são do Orçamento Participativo. A entrega da reforma e ampliação do CER Maria Enaura Malavolta Magalhães, do Vale do Sol, é obra do OP, a entrega da unidade de saúde da família do Victório de Santi também é uma obra do Orçamento Participativo. Entregamos, ao Assentamento Belo Vista, o maquinário de manutenção das estradas rurais daquela região, que também foi demanda do OP.

Temos outras obras foram eleitas pelo Orçamento Participativo, e que nós entregaremos no começo do ano: as quatro unidades de educação na região do Vale Verde, sendo 3 CERs e uma Escola de Ensino Fundamental. As outras obras eleitas no OP, estão em andamento, como a reforma e ampliação do CERs José Pizani, Carmelita Garcez, Leonor Mendes de Barros, Rosa Stringhetti.

Estão em andamento as obras eleitas por meio da plenária temática da Juventude do Orçamento Participativo: as reformas do Ginásio da Ginástica Artística, da área de lazer do Jardim América, que faz homenagem ao Tom Zé, do campo do Jardim das Hortênsias, que leva o nome do Jorge Washington Rosa, da área de lazer do Jardim Del Rey, da praça e da área de lazer do Altos de Pinheiros, enfim são várias obras que estão em andamento e que serão entregues também no começo do ano.

No ano passado nós entregamos outras obras. Em 2019, demos continuidade ao programa “Ilumina Araraquara”, trocando a iluminação dos corredores da cidade por lâmpadas de LED. Em 2019 o Jardim das Hortênsias foi o primeiro bairro 100% com iluminação LED de Araraquara, o que garante mais economia e segurança para a população. Entregamos a área de convivência do Residencial dos Oitis, que é um investimento importante para que a gente possa levar programas sociais lá para o condomínio. Entregamos mais um Centro de Cultura Digital lá no Vale do Sol e Águas do Paiol.

Entregamos grandes obras de infraestrutura, que vão suprir a falta de água em Araraquara, principalmente da região norte. Nós entregamos o Centro de Produção e o reservatório do Selmi Dei e estamos terminando o poço artesiano do Jardim São Rafael. Já prevendo o crescimento da região sul da cidade, entregamos outro Centro de Produção e Reservação no Victório de Santi. Ao todo, são mais de 11 milhões de reais de investimento só para que a gente possa suprir a falta de água e garantir abastecimento de água em regiões em expansão na cidade. Enfim, há inúmeras obras em andamento, obras do Orçamento Participativo e obras importantes, como as de infraestrutura, que conseguimos recursos em Brasília.

Rádio Web Participativa: A questão do emprego é algo que embora esteja muito ligada à política nacional, os municípios estão tendo que enfrentar. Como a cidade se organizou para isso? Você acredita que a retomada dos vôos comerciais no nosso aeroporto pode alavancar esse setor?

Edinho Silva: Eu não acredito que a retomada dos voos irá trazer impacto na geração de empregos em Araraquara, achar isso é criar uma expectativa que não é real. O que acontece primeiro, é que agora o aeroporto oferece um novo serviço à população. A partir de agora, a população tem mais um serviço de transporte, que vai facilitar a vida das pessoas que precisam do transporte aéreo. Segundo, ter um aeroporto operando com linhas aéreas, aumenta o portifólio da cidade, mostrando a sua força e o seu potencial econômico e isso é o importante, o diferencial para Araraquara. O que nós fizemos, no que cabe ao município, na geração de empregos, é a atração de novas empresas. Nós anunciamos a chegada de mais de 10 empresas na cidade nos últimos dias, que pegaram áreas subsidiadas pelo município, e outras empresas chegando. E, além disso, o que fizemos no combate ao desemprego foi atender às famílias que mais precisam, criando cursos de qualificação profissional para que essas pessoas possam voltar ao mercado de trabalho.

Rádio Web Participativa: As áreas da saúde, educação, assistência social e infraestrutura, sempre prioritárias, tiveram investimentos fundamentais este ano. Quais deles você apontaria como principais?

Edinho Silva: Acho difícil destacar um ou outro programa ou investimento como principal. Várias inciativas da nossa gestão ajudaram muito a melhorar a qualidade de vida em Araraquara. A principal medida que a Prefeitura tomou em relação à saúde foi fazer com que ela voltasse a funcionar bem. Como que a saúde funciona bem: tendo uma rede de atendimento que funciona, medicamento nos postos saúde. Nós acabamos com a falta de medicamentos nas unidades de saúde desde os primeiros dias do nosso governo. Às vezes falta um ou outro medicamento, às vezes o laboratório está em falta de um medicamento ou outro, a ausência de sal, ou um princípio ativo, mas a rede, majoritariamente, tem tudo aquilo que a população precisa. Temos enfrentado com muita força as filas de exames e cirurgias eletivas, para que a população não espere em demasia.

Nós melhoramos muito o funcionamento das nossas UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento), e isso é inegável. Tomamos a iniciativa importante, via o Orçamento Participativo, de iniciar as obras que vão garantir a reabertura do Pronto-Socorro do Melhado, que também vai ser muito importante para a cidade de Araraquara. Aumentamos e fortalecemos muito a nossa parceria com a Santa Casa, para que ela seja, de fato, o hospital SUS de excelência. Investimos muito também na Maternidade Gota de Leite, que continua sendo um hospital de excelência em saúde.

Na educação, nós fortalecemos muito a nossa rede de educacional. Quando eu retornei na Prefeitura, nós tínhamos muitas reclamações em relação ao básico na educação, que era merenda escolar. Nós superamos esse problema, restabelecimento da qualidade da alimentação escolar de Araraquara, que sempre foi referência Nacional. Conseguimos enfrentar os problemas de falta de vagas, reformando e ampliando unidades escolares. Via o Orçamento Participativo, estamos construindo novas unidades para atender à demanda da população da região norte, que não tinha nenhum equipamento público no bairro.

Investimos na educação, assim como investimos no Esporte, na Cultura. São mais de seis mil crianças atendidas nas Escolinhas de Esportes, mais de dois mil alunos nas Oficinas Culturais, entre outros vários programas sociais da prefeitura, que funcionam muito bem. Criamos o programa "Territórios em Rede", que atua nas seis regiões mais vulneráveis na cidade. Nele, reunimos e intensificamos todos os nossos programas sociais em uma força-tarefa para que possamos melhorar a qualidade de vida dessa população. Fortalecemos muito na nossa Rede de Assistência Social e vamos seguir investindo cada vez mais.

Rádio Web Participativa: Na área de infraestrutura, seu governo está fazendo algo histórico, que é a pavimentação da Chácara Flora. Também há vários quarteirões recapeados pela cidade. Qual a sua avaliação sobre a infraestrutura e manutenção da cidade? O programa "Prefeitura nos Bairros" tem cumprido o seu papel?

Edinho Silva: A pavimentação da Chácara Flora foi uma obra eleita pelo Orçamento Participativo, é uma obra caríssima e estamos fazendo de acordo com o fluxo de caixa da Prefeitura. Intensificamos muito nossa política de recape, de tapa-buracos, de manutenção da cidade, e o "Prefeitura nos Bairros", na minha avaliação, é o principal programa de zeladoria que a Prefeitura tem. Onde o programa chega, ele resolve os problemas. Ele organiza a prestação serviços públicos e leva até à população, seja serviços de recape e tapa-buracos, de troca de lâmpadas e manutenção da iluminação pública, de construção de canaletas, poda de árvore, reúne diversos serviços do DAAE e do PAT, como emissão de carteiras de trabalho e em 2019, ano que a Justiça Eleitoral intensificou o recadastramento biométrico de eleitores, o programa 'Prefeitura nos Bairros" também levou esse serviço para mais próximo da população. O Prefeitura nos Bairros é, sem dúvidas, um  programa essencial para a vida da cidade.

Rádio Web Participativa: Esporte. 2019 foi um ano de muitas conquistas dos nossos atletas nos Jogos Abertos, nos Jogos Regionais. Essas vitórias são respostas aos investimentos que vem sendo feito pela Prefeitura? O que esperar para 2020 no esporte amador de Araraquara?

Edinho Silva: Como foi dito anteriormente, mais de seis mil crianças estão matriculadas nas Escolinhas de Esportes em 54 pólos pela cidade. Claro que, com uma estrutura de base desse tamanho, você alimenta as equipes de competição. Dessa forma, você sempre têm atletas sendo incorporados pelas equipes de competição, isso faz com que Araraquara tenha resultados expressivos em várias modalidades. Hoje, Araraquara é referência, e penso que em 2020 vamos continuar sendo, porque nós estamos fortalecendo ainda mais a nossa estrutura esportiva no município.

Rádio Web Participativa: Ainda no esporte, também tivemos conquistas importantes das nossas Guerreiras Grenás, consolidando a cidade como a capital do futebol feminino. Além da Ferroviária, que entra numa nova fase agora com investimento da MS Esportes, que tem como representante o empresário Saul Klein. Quais as expectativas para 2020 em relação à AFE?

Edinho Silva: Espero que a Ferroviária se fortaleza cada vez mais, eu sei que é muito difícil fazer futebol sem dinheiro. Penso que a cidade trouxe a Ferroviária até onde ela poderia chegar, com os patrocinadores locais, com as empresas locais, com a força que a cidade tem. De fato, se a AFE quiser alçar outros voos, ela precisa de novos patrocinadores, de mais recursos e é o que ela está fazendo,penso que ela está no caminho correto.

O futebol feminino é um projeto antigo da cidade, desde 2001, e agora estamos colhendo os frutos de anos de investimento, não só o futebol feminino, que em 2019 foi campeão brasileiro, vice-campeão da Libertadores. O futebol feminino de salão também foi campeão de tudo, Copa Sul - Minas, campeão Paulista, campeão da copa paulista, enfim, ganhou todas as competições que disputou. O futebol feminino é o principal porta-voz da cidade e eu sou admirador deste projeto e tudo que a cidade faz por ele

Rádio Web Participativa: A cultura em Araraquara está em efervescência. Sentimos isso com a ocupação das praças e espaços públicos por feiras de economia solidária e criativa, que dão visibilidade aos nossos artesãos, o retorno da Facira, dando evidência aos nossos artistas locais, o sucesso das Oficinas Culturais. O que você destacaria além disso?  O que você pensa sobre a cultura da cidade hoje?

Edinho Silva: A cidade tem uma tradição cultural muito forte e o que nós estamos fazendo é dar vazão a isso. Acredito que a volta da Facira foi importante, ela jamais deveria ter deixado de existir. Ela é o momento mais forte da vida da cidade, onde as empresas mostram a sua capacidade produtiva, é quando as empresas expoem as suas marcas. É um momento muito forte de integração da cidade e da região. E em especial, este ano, tivemos a primeira feira internacional de negócios, Brasil-Portugal, apresentando estandes de empresas de Torres Vedras.

Nós tivemos muitas coisas legais esse ano, a segunda edição do Festival de Música Autoral de Araraquara, o FEMA, que foi Fantástico, de uma qualidade excepcional, o tradicional festival de teatro de Araraquara, a Semana Luiz Antônio Martinez Corrêa, o Território das Artes, o Festival Internacional de Dança, teremos o Festival de Contos que leva o nome do imortal Inácio de Loyola Brandão, os contos estão sendo selecionados. Tem muita atividade cultural na nossa cidade, as Oficinas Culturais, o trabalho belíssimo da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira, tudo isso dá uma efervescência cultural muito grande.
O ano que vem nós teremos de volta o nosso Teatro Municipal, que nós estamos recuperando na maior reforma que o espaço já sofreu desde a sua inauguração. Estamos recuperando o teatro com muito carinho, com muita atenção aos detalhes e o ano que vem o principal palco cultural de Araraquara estará de volta à população. São 2177 crianças e adolescentes nas Oficinas Culturais do município, mantendo a formatação de referência cultural da cidade.

Rádio Web Participativa: Qual a importância o esporte e da cultura na vida de um cidadão?

Edinho Silva: É muito importante. Esse final de semana, eu estive acompanhando o projeto Natal Solidário nos Territórios e eu estava conversando com os servidores da Prefeitura que estavam comigo e eu disse assim: olha, a felicidade do povo é simples de ser alcançada. Claro que envolve sentimentos e tantas coisas com as quais o ser humano se relaciona, mas em síntese é: emprego, cultura e lazer. Se as pessoas tiverem emprego, tiverem a garantia de sobrevivência dos seus familiares e se tiverem opção de lazer e de Cultura, a gente avança muito ao encontro da felicidade. Então, eu penso que o lazer e a cultura tem que estar no dia a dia da população para que a gente viva de fato uma cidade democrática. Esporte é tudo, além de lazer e entretenimento, ele é qualidade de vida, significa saúde. E é papel do poder público oferecer tudo isso para a população.

Rádio Web Participativa: Segurança: Embora seja de responsabilidade do Estado, os municípios acabam tendo papel extremamente importante. Como você avalia o papel da Guarda Municipal neste contexto?

Edinho Silva: Eu avalio de forma muito positiva. Eu tenho orgulho de ter sido o prefeito que criou a Guarda Municipal de Araraquara, que implantou a Guarda. Eu sou defensor da Guarda, dos Agentes de Trânsito. Essa estrutura que está aí foi criada por mim quando eu era prefeito. Nós valorizamos muito a GM e os guardas sabem disso. Valorizamos oferecendo melhores condições de trabalho, valorizamos respeitando a carreira do guarda, agora estamos fazendo um concurso para que a gente passe o ano que vem suprir as ausências que nós temos, pois temos guardas que se aposentaram, que saíram da Prefeitura. Entregamos 10 novas viaturas, veículos zero, compramos novos fardamentos e todos os equipamentos necessários para que o guarda possa executar sua função, estamos fazendo a nossa parte no reconhecimento da Guarda Municipal. Vamos continuar trabalhando junto ao Coronel João Alberto, junto à Juliana Záccaro, enfim, com toda a estrutura de comando da Guarda para que a guarda seja valorizada e que a cada dia ela preste de serviço melhor à população e que cumpra o seu papel, já que a principal função na segurança da cidade é da Polícia Militar, da Polícia Civil naquilo que diz respeito da Polícia Federal, de bombeiro, polícia ambiental, mas a guarda tem o seu papel e esse é o papel que nós queremos que ela cumpra com muita eficiência.

Rádio Web Participativa: Gostaria que você falasse um pouco mais sobre as políticas públicas para as chamadas minorias: políticas para igualdade racial, políticas públicas para as mulheres, para a população LGBTQIA+, para a população afrodescendente e também para as pessoas com deficiências:

Edinho Silva: Eu incluiria também as pessoas em situação de rua, que eu penso que a Prefeitura tem se dedicado muito e talvez seja a minoria ainda mais excluída. Penso que uma cidade precisa ter políticas públicas para que ela seja uma cidade igualitária, que respeite a sua diversidade, que respeite a cidadania. Eu acho que é esse é o nosso papel, nós temos políticas públicas para toda a cidade, inclusive para a comunidade LGBT, para os negros, para as mulheres, para a população em situação de rua, enfim, para as pessoas que vivem com deficiência, para os jovens e idosos, portanto, para todos aqueles setores que são considerados minorias políticas. Eu acredito muito nisso e é só isso que fará de Araraquara uma cidade menos desigual e uma cidade mais cidadã.

Rádio Web Participativa: A Participação Popular e a transparência são marcas da sua gestão.  Além do OP, que ouve e atende demandas apontadas pela população, temos a Controladoria, Ouvidoria e a Procuradoria, todas autônomas, e as ações do governo são amplamente divulgadas, com a prestação de contas mensal apresentada na internet, o programa "Conversa com o prefeito", da TV WEB Participativa, "Bate-bola com prefeito", da Rádio Web ParticipAtiva, entre outras iniciativas nas redes sociais. Qual a importância dessas ferramentas e elas devem ser ampliadas neste próximo ano?

Edinho Silva: Não sei se é possível ampliar, mas penso que seja possível melhorar o funcionamento da estrutura, pois tudo que pode ser criado, tanto para controle interno como externo, em ferramentas de participação popular a Prefeitura tem. O que precisamos é aprimorar o funcionamento do Orçamento Participativo, aprimorar muito o funcionamento dos conselhos municipais, aumentar ainda mais a capacidade de trabalho da Controladoria, da Ouvidoria, da Procuradoria, que são órgãos de controle interno, para que a gente possa impedir que haja algum deslize na utilização do dinheiro público. Acredito que seja a primeira Prefeitura do país que tem Controladoria. Procuradoria e Ouvidoria com autonomia, com mandatos. E eu não me arrependo em nada em ter, acho ainda que é importante e também os órgãos da estrutura de controle externo, que democratiza a Prefeitura, que é OP e os conselhos, e vamos continuar investindo muito nessas estruturas para que elas funcionem cada vez melhor. Quem ganha com isso é a sociedade, ganha porque você tem a garantia da fiscalização cotidiana da utilização do dinheiro público e ganha por que você tem a sociedade civil agindo, trabalhando, fiscalizando e decidindo efetivamente onde que se gasta o dinheiro público, portanto é a democracia direta sendo instituída.

Rádio Web Participativa: Como você definiria o seu governo?

Edinho Silva: Definiria como um governo que constrói a Participação Popular, que é importante, um governo que constrói uma cidade igualitária e justa. Acho que essa é a inspiração de um governo. Uma cidade com participação popular, igualitária e justa. A gente sonha que Araraquara tenha essas marcas, tenha essa diretriz, que respire isso. Se isso for real, nós vamos morar numa cidade infinitivamente melhor, mesmo que a nossa cidade já seja boa, e nós vamos mostrar que é possível fazer isso no estado de São Paulo, no Brasil, porque fazemos aqui em Araraquara.

Rádio Web Participativa: O que a população pode esperar do seu governo em 2020?

Edinho Silva: Muito trabalho. Dedicação integral, um sacerdócio em prol dos interesses da comunidade, é isso que eu me comprometo a fazer. O resultado? Espero que seja o melhor possível, agora a entrega será total, o sacerdócio na prestação de serviço público, a dedicação ao cargo público será integral. Aproveito para desejar um Feliz 2020 para toda à população de Araraquara.

registrado em: