Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2020 / Agosto / 6 / Hospital de Solidaridedade: tablets aproximam pacientes de suas famílias

Saúde

Hospital de Solidaridedade: tablets aproximam pacientes de suas famílias

Canal Direto_Saúde.jpeg

 

Solidariedade promove interação entre pacientes e familiares

 

Por tablet, pacientes com Covid-19 do Hospital da Solidariedade (Hospital de Campanha) podem falar com parentes via internet

 

 

Contatos virtuais diários entre pacientes e familiares já são feitos desde a semana passada, em Araraquara, no Hospital da Solidariedade, ou Hospital de Campanha, que cuida de pacientes com Covi-19.

 

Dois tablets liberados pela Secretaria Municipal de Saúde têm possibilitado a comunicação, via internet, entre quem está internado e aqueles que, por conta da pandemia, estão impedidos de fazer as visitas normais.

 

Segundo a diretora técnica da Fungota (entidade mantenedora da Maternidade Gota de Leite), Emanuelle Laurenti, embora virtual, essa interação tem um impacto muito positivo para ambos os lados, por ser benéfica para o paciente internado.

 

“A doença provoca algum tipo de medo na pessoa contaminada, que pode se sentir mais segura ao falar com os familiares”, explicou Emanuelle, na quinta-feira (6), em entrevista ao programa ‘Canal Direto com a Prefeitura - Especial Coronavírus’, transmitido ao vivo de segunda à sexta-feira, às 18h30, pelo Facebook do Município. 

 

Ainda de acordo com Laurenti, primeiro o médico passa as informações sobre as condições do paciente para o enfermeiro ou para a assistente social do hospital, que depois faz o contato com os familiares do internado por chamadas de vídeo.

 

Ela assegurou que os dois tablets passam por um protocolo de higienização e proteção, com todas as precauções devidas para evitar o contágio. 

 

Vale destacar que Hospital de Solidariedade (Hospital de Campanha) foi entregue pela Prefeitura no último dia 20 de maio, na Rua Domingos Zanin (próximo ao Terminal Rodoviário de Passageiros), por conta da pandemia do novo coronavírus. Desde então, 185 pessoas já passaram pelo hospital, que, segundo Emanuelle, tem uma alta rotatividade de pacientes. Por dia, são contabilizadas, em média, 16 pessoas internadas.

 

Cada paciente fica entre quatro e seis dias internados, passando por uma série de procedimentos diários no tratamento da doença.

 

Conforme acrescentou a diretora técnica da Fungota, este hospital possui uma equipe multiprofissional de saúde, com treinamentos específicos para cuidar dos pacientes, além dos serviços de apoio, como alimentação, segurança e limpeza.

 

Prevenções

A diretora também destacou a internação preventiva de pessoas com suspeita de Covid-19 na cidade, principalmente as que apresentam alguma comorbidade. Essa prevenção coloca Araraquara entre as cidades com os menores índices de óbitos no Brasil pela doença.

 

Emanuelle ainda reiterou a importância para as pessoas manter o isolamento social, que evita a disseminação do coronavírus, do uso da máscara para quem tem que sair de casa, além da higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel.

 

A entrevista completa pode ser revista na página oficial do Facebook da Prefeitura de Araraquara.

 

 

registrado em: ,