Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2020 / Março / 30 / Médico fisiologista orienta como se manter ativo, dentro de casa, durante isolamento

Saúde

Médico fisiologista orienta como se manter ativo, dentro de casa, durante isolamento

3f7b79c4-768f-4f26-9d8d-77d18742ba2a.jpg

 

 

Isolamento domiciliar não impede a prática de exercícios físicos

 

 

Fisiologista Cássio Mascarenhas dá dicas especiais contra o sedentarismo para quem mora em casa ou apartamento

 

 

Neste período de isolamento social obrigatório provocado pelo coronavírus, em que as pessoas precisam ficar em casa com seus familiares, principalmente os idosos, é possível manter-se ativo fisicamente, mesmo sem poder ir à academia, caminhar por vias públicas ou parques da cidade.

 

Na segunda-feira (30), em entrevista no programa Canal Direto – Especial Coranavírus, via Facebook da Prefeitura de Araraquara, o fisiologista Cássio Mascarenhas deu várias dicas de como não ficar parado  durante o confinamento. Para tanto, são necessários apenas dois equipamentos básicos: “corpo e chão”, resumiu.

 

“Existem diversas possibilidades para se praticar exercícios numa sala, mesmo morando em apartamento”, disse o fisiologista, sugerindo a marcha estacionária para quem for sedentário, ou corrida estacionária para os que já praticam exercícios regularmente.

 

Se estiver entediante ou repetitivo, basta dividir a marcha ou a corrida estacionária de 30 minutos, por exemplo, em dez minutos cada - de manhã, à tarde e à noite - que o efeito será o mesmo.

 

Também é possível se levantar e sentar no sofá por tantas vezes que suportar, além de dançar ou improvisar um jogo de boliche, usando garrafas pet e uma bola de tênis ou de meia, e até brincar de amarelinha envolvendo familiares.

 

Porém, o melhor para quem reside em condomínios verticais são as escadas. Basta subir de dois a três degraus por minuto, para quem estiver começando a prática, e até seis degraus por minuto se estiver bem condicionado. “É um exercício fantástico”, observou Cássio.

 

Quem reside em casa térrea, com uma sala um pouco mais ampla e garagem, mesmo com um pequeno quintal, pode se exercitar ainda com mais facilidade, inclusive improvisar um jogo de basquete ou pular corda, podendo até evolver crianças da família, segundo o fisiologista.

 

Inclusão

Cássio Mascarenhas acrescentou que exercícios feitos em casa podem incluir, em alguns casos, até cadeirantes e idosos, mesmo que a carga seja menor e diferenciada por conta da mobilidade reduzida. Mas sempre com auxílio de algum familiar.

 

Em relação a aulas de exercícios online, ele disse não ser recomendável para iniciantes e nem às pessoas que tem algum problema de saúde.

 

“Praticar exercícios regularmente faz bem para o corpo e a mente porque melhora também o humor e a memória das pessoas”, ressaltou.

 

Ainda de acordo com o fisiologista, este momento difícil do mundo vai possibilitar uma grande mudança de comportamento no ser humano, tanto do posto de vista coletivo quanto ao do combate ao sedentarismo, que no Brasil atinge a maioria dos adultos acima de 50 anos.

 

registrado em: ,