Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2021 / Janeiro / 27 / Festival Aldir Blanc reúne artistas de Araraquara nas plataformas digitais

Cultura

Festival Aldir Blanc reúne artistas de Araraquara nas plataformas digitais

De 29 de janeiro a 10 de março, uma programação cultural diversificada poderá ser acompanhada pelo Facebook e YouTube da Prefeitura de Araraquara; confira os músicos e bandas da abertura
c6069183-14f7-4d3c-9d7b-5ecf8e64e60f.jpg

 

 

Nesta semana, a partir do dia 29 de janeiro, tem início o Festival Aldir Blanc, que irá reunir produções realizadas pelos artistas que vivem em Araraquara e foram selecionados pelo edital da Lei Aldir Blanc. Os trabalhos variados seguirão com apresentações até março, no canal da Prefeitura de Araraquara, no YouTube.  

O edital contemplou: manifestações e atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet ou disponibilizadas por meio de redes sociais e outras plataformas digitais, nas linguagens: circo, teatro, curta, música e oficinas.  

Vale destacar que a Lei Aldir Blanc dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19. A União repassa aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios o valor de R$ 3 bilhões para a realização dos projetos artísticos e culturais referentes a LAB.   

Para Araraquara, os recursos são de R$ 1.549.737,74. A cidade conta com 44 espaços contemplados com a Lei Aldir Blanc, com um subsídio total de R$ 723.000,00 e 180 projetos artísticos contemplados com R$ 385.000,00.  

Desta forma, a seleção feita por meio do edital para o Festival Aldir Blanc visa minimizar os impactos sociais e econômicos sofridos pelos(as) trabalhadores(as) da cultura, grupos, coletivos, espaços e territórios culturais no curso da pandemia da COVID-19. A Lei Aldir Blanc é uma iniciativa do Governo Federal que, em Araraquara, conta com o suporte da Prefeitura de Araraquara - por meio da Secretaria Municipal de Cultura e do FUNDOARA.   

  

Programação - Com projetos contemplados (referentes aos editais 003 e 004/20), as exibições digitais terão início em 29 de janeiro, seguindo até março. A maioria das apresentações será realizada às 15 ou 20 horas.   

A música abre a programação: nos dias 29, 30 e 31 de janeiro, sempre às 20 horas, haverá apresentações musicais com: 2Part´s, Banda Main Station, Trio Zabumbê,  Nalini, Marcos Volpe, Romeu Rios, Trio 90 Acústico, Beto Oliveira, João Platino e Flor Morena e Juliano Leite (confira mais no final da matéria).  

Nos dias 04, 11, 18 e 25 de fevereiro, a partir das 15 horas, haverá a exibição de 20 vídeos diários das Oficinas Culturais. De 05 a 07 de fevereiro, às 20 horas, é a vez do Teatro. Os curtas-metragens selecionados serão exibidos nos dias 12, 13 e 14 de fevereiro, às 16 horas. A arte circense é atração de 19 a 21 de fevereiro, com os vídeos apresentados a partir das 20 horas. Vale destacar que: no dia 17 de fevereiro, pelo Facebook, poderá ser acessado um link para a visualização de 03 fotografias selecionadas.  

Depois, no dia 24 de fevereiro, a partir das 15 horas pelo Facebook, poderá ser acessado um link para a exibição de 09 textos de literatura. De 26 a 28 de fevereiro, 60 vídeos com apresentações de linguagens artísticas diversificadas serão apresentados a partir das 20 horas (20 por dia).  

Uma postagem no Facebook da Prefeitura de Araraquara, no próximo dia 03 de março, divulgará um link para acesso a 15 obras de Artes Plásticas. Depois, nos dias 04 e 08 de março, continuam às 15 horas os vídeos das Oficinas Culturais. De 05, 06, 07 e 09 de março, sempre às 20 horas, tem vídeos de apresentações. Por fim, no dia 10 de março, três podcasts serão apresentados a partir das 20 horas.   

Toda a programação é gratuita. 

 

Confira os músicos e bandas participantes (29 de janeiro): 

  

2Part's 

O duo 2Part's teve início no ano de 2018, formado por um músico e por uma musicista. O acústico é composto por duas vozes, um violão e uma meia lua. Os shows realizados abrangem o gênero Pop/Rock, nacional e internacional. No ano de 2019 o acústico já lançou uma música autoral, intitulada “Só Eu Sei Dizer”, disponível em seu respectivo canal do YouTube. Tendo previsão de lançamento de sua próxima musical autoral no início deste ano. 

  

Main Station 

Em uma apresentação intimista, influenciada pelo rock inglês dos anos 60, a banda Main Station faz uma ponte da tradição à modernidade. 

  

Trio Zabumbê 

Formado em 2014 pelo guitarrista Fabiano Marchesini, pelo baixista acústico Cleber Fogaça e pelo baterista Beto Figueiredo, o Trio Zabumbê apresenta um repertório de jazz instrumental passando pelo blues, soul e música brasileira. Com uma sonoridade forte, moderna e marcada pela criatividade e improvisação, o trio vem se apresentando no interior paulista, incluindo shows especiais que contaram com participações de nomes como Arismar do Espírito Santo e Carlos Malta. 

  

Nalini 

A cantora Nalini apresenta um projeto com releituras de canções que fizeram sucesso nas melhores vozes femininas de todos os tempos. Cantora consagrada na cidade de Araraquara, Nalini se apresenta há mais de 30 anos na cidade e região. 

  

Marcos Volpe 

Marcos Volpe apresenta o show “Começar de Novo”, com releituras das mais famosas composições de Ivan Lins. Marcos Volpe tem mais de 40 anos dedicados à música, incluindo apresentações nos Estados Unidos. O músico abrange várias regiões harmônicas, cria seus próprios arranjos e tem carreira consagrada na cidade. 

 

 Romeu Rios 

Romeu executará, em uma performance ao vivo, um repertório sertanejo, fruto de pesquisas, releituras e novas formas de executar o gênero musical. 

 

Trio 90 Acústico 

Criado há mais de dois anos por um dos integrantes (Diego Delgatti), o Trio 90 Acústico leva ao público o samba e o pagode dos anos 90, com um som descontraído e acessível, apresentando um repertório variado. O Trio 90 Acústico é composto por: Juninho Gonçalves (violão/voz), Diego Delgatti (pandeiro/voz) e Tikila Carboni (percussão/voz). 

 

Beto Oliveira 

O percussionista Beto Oliveira – que trabalha com percussão há 27 anos - retrata, em sua apresentação, as divindades das religiões de matrizes africanas mais populares do Brasil, sua história e seus cânticos. Beto Oliveira, em 1999, começou um trabalho de percussão tradicional e alternativa em um Assentamento de Araraquara, projeto do qual alcançou mídia nacional. Também promove workshops em Araraquara com músicos de renome internacional. Em 2008 lançou o DVD “Ritmos do Brasil – Vol. 01”, de sua autoria, na qual trata sobre sua trajetória musical e sobre os ritmos mais utilizados no Brasil. 

  

 João Platino e Flor Morena  

João Paltino e Flor Morena formam uma dupla sertaneja composta por pai e filha, formada há mais de 15 anos, com o objetivo de manter a música sertaneja raiz viva. Ao som de viola caipira juntamente com o violão grandes clássicos são interpretados. Vicente de Paula Julio, o "João Platino", é formador de gerações de violeiros em Araraquara. Jenifer Silva Julio, a "Flor Morena", iniciou seus aprendizados aos 13 anos tendo como professor seu próprio pai, Vicente, que em 1997 abriu a primeira escola de viola de Araraquara.  

 

Juliano Leite  

O músico Juliano Leite apresenta canções que integram suas principais referências artísticas. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

registrado em: , ,