NOTÍCIAS

Voltar

Atividade com moradores em situação de rua marca “I Semana dos Direitos Humanos”

6 de dezembro de 2017


A Coordenadoria Executiva de Direitos Humanos e a Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial, ambas vinculadas à Secretaria de Planejamento e Participação Popular, promoveram, nesta terça-feira (5), uma atividade na Casa Transitória, voltada à população em situação de rua. A ação, com uma roda de conversa e apresentação do grupo Sambazinho, integra a “I Semana dos Direitos Humanos”.

 

A Casa acolhe moradores em situação de rua e oferece banho, alimentação e pernoite. Também por meio de pesquisa social desenvolve trabalho de recuperar os vínculos familiares e a reinserção à sociedade.

 Os representantes das Coordenadorias explicaram as ações que a administração municipal vêm desenvolvendo junto à população em situação de rua visando recuperar a autoestima e avançar na capacitação para reinserção deles ao mercado de trabalho. Importante dizer que buscou-se também escutar as demandas apresentadas por esta população.

 A secretária municipal de Assistência de Desenvolvimento Social, Eloisa Mortatti, destacou a integração do poder público com os assistidos na Casa Transitória. “Amplia o pertencimento à sociedade, resgata valores culturais e desperta saberes”, resumiu.

 “Temos que abrir o diálogo a todos e garantir o acesso às atividades educacionais, sociais e culturais de acordo com o princípios da Política Nacional”, afirmou o coordenador executivo de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiz Fernando da Costa Andrade.

 Para a coordenadora Executiva de Direitos Humanos, Maria Fernanda Luiz, a gestão do prefeito Edinho Silva está comprometida em garantir os Direitos Humanos nos diferentes espaços públicos. “Acreditamos que um trabalho que busque o reconhecimento da dignidade humana desta população é um passo importante para a inserção de cada um deles na sociedade”, afirma Maria Fernanda.

 “O diálogo, o lazer e a cultura são importantes”, disse a gestora da Casa Transitória, Eliana Maria Branco Veiga.

 Ao final, o Sambazinho animou a noite apresentando ícones nacionais, especialmente o repertório de Zeca Pagodinho.

Oportunidades

 A presidente da Casa de Acolhida Sacrário do Amor, Maria Lúcia, também estava presente e enfatizou que todos os acolhidos necessitam de oportunidades no mercado de trabalho para iniciarem uma nova vida.

 O ex-presidiário LHSB, de 39 anos, relatou que fez cursos no sistema prisional e que espera continuar os estudos. “Não devemos ficar culpando os outros pela nossa situação. Temos que arregaçar as mangas e nos preparar para ampliar nossas expectativas de vida”, afirmou o ajudante geral, que se recupera há seis meses na Casa Sacrário de Amor.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis