NOTÍCIAS

Voltar

Cerest expõe no RJ rastreamento de acidentes de trabalho

23 de outubro de 2017


A técnica de enfermagem do Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) da Regional Araraquara, Marli Cristina Janazzi, representará a Prefeitura nesta quarta-feira (25), no Rio de Janeiro, durante o II Congresso Técnico-Científico da Fundacentro.

 

Nesse evento, cujo tema é ‘Segurança e Saúde no Trabalho: uso de dados como instrumento para o sistema de prevenção’, Marli apresentará o Sistema de Rastreamento de Acidentes do Trabalho (Sisraat), elaborado pelo Cerest Araraquara em parceria com a empresa local WAB Agência Digital.

O programa, já apresentado no início deste mês em São Paulo, durante encontro estadual da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (Renast), permite que todos os 24 municípios que englobam o Cerest Araraquara tenham acesso simultâneo aos registros sobre acidentes e adoecimentos do trabalho.

Para Edison Rodrigues filho, coordenador executivo de Atenção Especializada (órgão da Secretaria Municipal de Saúde), a apresentação do Sisraat no Congresso do Rio de Janeiro é um marco já que a Fundacentro é um órgão de referência nacional.

“O fato de o trabalho ser selecionado pela Fundacentro significa o reconhecimento da importância do Sisraat no momento de alterações da legislação trabalhista e de reflexão sobre a segurança e saúde do trabalhador”, acrescenta Edison.

 

Sistematização

A alimentação do sistema é feita através do Relatório de Atendimento ao Acidentado do Trabalho (Raat), também implantado em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Estratégias de Saúde da Família (ESFs), Unidades de Pronto Atendimento (Upas) e hospitais públicos e privados dos municípios da região.

Os relatórios são preenchidos quando o acidentado ou o adoecido pelo trabalho dá entrada numa destas unidades de saúde. Posteriormente, são encaminhados à Vigilância Epidemiológica do município para investigação e alimentação do Sisraat.

Vale destacar que este sistema permite levantar dados de modo individual ou geral, como o número de acidentes ocorridos por dia, mês ou ano, a faixa etária dos trabalhadores que mais se acidentam e o tipo de lesão que ocorre com maior frequência.

O levantamento também permite detectar a empresa ou o ramo de atividade em que mais ocorrem os acidentes ou adoecimentos, ocupação do envolvido, natureza do acidente (leve, moderado, grave, ou fatal), tipo de acidentes, causa da lesão, situação funcional (regime de trabalho com carteira assinada, avulso, autônomo ou aposentado) e a unidade de notificação.

 

Ações conjuntas

Todos esses dados viabilizam abordagem nos ambientes de trabalho, através de inspeções feitas pela Vigilância Sanitária municipal ou estadual, ambas com apoio técnico do Cerest, e possibilitam estratégias e ações preventivas para a melhoria das condições de trabalho.

Para Marli Cristina Janazzi, a apresentação deste programa à Fundacentro no Rio de Janeiro é muito importante para Araraquara, porque possibilita que municípios brasileiros possam conhecê-lo já que o Congresso é uma troca de experiências.

 

O Cerest foi implantado em Araraquara em 2002, durante o primeiro mandato do prefeito Edinho, e regulamentado como Cerest Regional em 2003.

 

A implantação do Raat se deu a partir de 2010 tornando obrigatório o seu preenchimento para todos os acidentes de trabalho registrados no município.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis