NOTÍCIAS

Voltar

Edinho prestigia abertura de exposição sobre Judith Lauand

9 de março de 2017


O prefeito Edinho prestigiou a abertura da exposição “Ruptura”, que reúne 30 obras da artista plástica Judith Lauand, na noite de quarta-feira (8), na Casa da Cultura “Luiz Antônio Martinez Corrêa”.

Formada pela Escola de Belas Artes de Araraquara, Judith Lauand é “uma mulher muito além de seu tempo”, segundo o prefeito. “Ela traduziu esse arrojo por meio das artes plásticas”, disse Edinho.

O prefeito lembrou que a atividade fechava a agenda especial do Dia Internacional da Mulher, que também contou com a inauguração da nova sede do Centro de Referência da Mulher e com a assinatura do convênio que ampliou as vagas no mercado de trabalho para as reeducandas do Centro de Ressocialização Feminino.

 

Além da exposição, que é gratuita, também foi realizada uma roda de conversa com a Prof. Dra. Dulce Whitaker e a artista plástica Fernanda Ribeiro, com mediação da arte educadora Rita Michelutti.

“Judith Lauand sempre foi muito criativa e teve impulso em propor o novo”, afirmou Fernanda. Falando sobre o apagamento da mulher na história da arte, a professora Dulce lembrou que Judith Lauand era uma exceção naquela época, já que as mulheres eram reprimidas e dificilmente se destacavam nesse segmento.

A abertura da exposição contou com a presença da vereadora Thainara Faria (PT) e do vereador Elias Chediek (PMDB), da deputada estadual Márcia Lia (PT), da secretária de Cultura, Teresa Telarolli, da presidente da Fundart, Gabriela Palombo, da coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, Amanda Vizoná, e da coordenadora de Acervos e Patrimônio Histórico, Fabiana Virgílio.

Biografia

A artista plástica Judith Lauand é considerada uma das grandes damas do Concretismo brasileiro e foi a única mulher a integrar o Grupo Ruptura, coletivo vanguardista formado em 1954 por Luiz Sacilotto, Waldemar Cordeiro e Lothar Charoux, entre outros. Com eles, expôs na I Exposição Nacional de Arte Concreta e na mostra Konkrete Kunst, em Zurique.

A artista nasceu na cidade de Pontal, no interior paulista, em 1922, e se formou na Escola de Belas Artes de Araraquara, em 1950, onde aprendeu pintura com Mario Ybarra de Almeida (1893-1952) e Domenico Lazzarini (1920-1987).

No início de sua carreira dedicou-se à arte com influência expressionista, pintando figuras e naturezas mortas. Depois da formatura em 1950, mudou-se para São Paulo em 1952, onde estudou gravura com Livio Abramo. Depois, em 1953, passou a dedicar-se a abstração e, no final dos anos 50 adotou um vocábulo construtivista, com influências concretistas.

Já na década de 1960, Judith começou a utilizar em suas obras materiais pouco usuais, como: tachinhas, alfinetes, clips e dobradiças, com efeitos e ritmos ópticos.

A artista ganhou o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, em 1996, com uma exposição retrospectiva destacando principalmente suas produções dos anos 1950.

SERVIÇO:
Exposição “Ruptura” – obras de Judith Lauand
Período:
de 08/03 a 30/04
Local: Casa da Cultura “Luiz Antônio Martinez Correa” (Rua São Bento, nº 909 – Centro)

 

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis