NOTÍCIAS

Voltar

Educação Especial participa de oficina do projeto Leitura Digital Acessível

21 de maio de 2018


Representantes da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação participaram, na última sexta-feira (18), da oficina ministrada pela equipe da Rede de Leitura da Fundação Dorina Nowill para Cegos, do projeto Leitura Digital Acessível.

A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma organização sem fins lucrativos e de caráter filantrópico, que há 70 anos se dedica à inclusão social de pessoas com deficiência visual. Para isso, entre suas ações, estão a produção e distribuição gratuita de livros e revistas acessíveis nos formatos braille, falado e Daisy, treinamentos, palestras, adequação de espaços e serviços de acessibilidade na web.

Também dentro dessas ações estão sendo realizadas oficinas gratuitas em leitura inclusiva para a formação de 300 bibliotecários, professores e educadores das cidades de Araraquara, Bragança Paulista, Campinas, Mogi Mirim, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos e São Paulo.

Em Araraquara, a oficina ocorreu no Centro de Desenvolvimento Profissional de Educadores Paulo Freire, o CEDEPE, envolvendo temas como a pessoa com deficiência visual e a leitura, acessibilidade e o uso dos livros em formato acessível, além de orientações técnicas e práticas sobre o uso do livro Daisy e informações sobre o ePub3.

Para a gerente da Educação Especial do Município, Cássia Canato, que participou da oficina, a iniciativa foi bastante positiva. Além de Cássia, participaram também membros da PARA D.V., representantes da biblioteca da FCL/ Unesp, campus de Araraquara, da Biblioteca do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e da Biblioteca Municipal Mario de Andrade, professores das redes estadual e municipal, profissionais da cidade de Botucatu e Descalvado.

“O município agora está cadastrado e passará a receber todo o acervo lançado pelo projeto Leitura Digital Acessível, incluindo os livros online”, enfatizou a gerente de Educação Especial que, a exemplo dos demais participantes, recebeu kits com 12 livros acessíveis em formato Daisy, durante a oficina.

Novo acervo

Recentemente, com patrocínio das empresas White Martins e Fox Conn, o projeto Leitura Digital Acessível anunciou também a produção de 12 mil livros em formato Daisy (Digital Accessible Information System), distribuídos gratuitamente a mil instituições paulistas, entre elas, bibliotecas, escolas públicas e projetos sociais. O implemento de novas obras conta com títulos infantis, infanto-juvenis, clássicos nacionais e internacionais, bestsellers e quadrinhos. Vale lembrar que para acessar os conteúdos dos livros em formato Daisy é necessário o uso de programas gratuitos como DDReader.

Com o cadastro no projeto, o município terá acesso também a esse novo acervo.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis