NOTÍCIAS

Voltar

Encontro aborda a abolição da escravatura e a reeducação das relações étnico-raciais

16 de maio de 2017


A programação do mês de maio da Coordenadoria Executiva de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (CEPPIR) e do Centro de Referência Afro Mestre Jorge – por meio da Secretaria de Planejamento e Participação Popular – nesta quarta-feira (17) apresenta a mesa-redonda “Reflexões sobre a abolição da escravatura e a Reeducação das Relações Étnico-Raciais”.

A atividade gratuita, sem necessidade de inscrição prévia, será realizada às 19h30, no Auditório da Sala 24 da Uniara, com a participação de: Denise Gonçalves da Cruz, Jair Fortunato Borges Junior e Maria Fernanda Luiz.

A proposta é discutir como uma prática voltada à reeducação das relações étnico-raciais (que encontra seu marco legal na lei 10.639/03 e altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996) se configura como uma política crucial para o combate ao racismo no sentido de reconhecimento e valorização da História e Cultura do povo negro.

“No que toca o reconhecimento da fundamental importância do ensino de história e cultura africana e afro-brasileira, destacamos que durante grande parte da história da educação no Brasil ocultaram-se conhecimentos e saberes de duas das três matrizes originais de formação do Brasil, a indígena e a africana do currículo oficial. Em nossa prática adotamos uma postura de combate ao racismo”, comenta Maria Fernanda Luiz.

De acordo com Luiz Fernando Costa de Andrade, “a ausência desses conteúdos nos currículos escolares e universitários tem por consequência um amplo desconhecimento e desvalorização das culturas e sujeitos que representam este legado (negros e povos indígenas) afastando os estudantes negros e não-negros do reconhecimento dessas culturas”.

Palestrantes – A mesa será conduzida por experientes profissionais. Denise Gonçalves da Cruz é mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. Atualmente cursa Pedagogia na UFSCar, compõe a coletiva de mulheres negras Café das Pretas e o coletivo Frente Negra UFSCar – São Carlos, além de atuar como professora de educação infantil na Ong Estrela da Manhã.

Também o Mestre em Educação, Jair Fortunato Borges Junior, é um dos convidados da noite. Jair atualmente é professor da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo e assessor e educador do Instituto Plural de Educação e Cidadania Vila Bela (dos projetos: Abionan, Conhecer Para Respeitar e Condeca), em Ribeirão Preto.

Estes projetos realizam trabalhos voltados para disseminação e respeito às diferenças étnicas, de gênero, de pessoas com necessidades especiais e de orientação sexual, promovendo o combate a toda forma de preconceito e discriminação em busca da igualdade de direitos e ainda suporte técnico pedagógico para adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa.

Por fim, o debate convida Maria Fernanda Luiz, vencedora do 7º Prêmio Educar para Igualdade Racial e Gênero (na categoria Professora do Ensino Fundamental), pós-graduanda em Sociologia da Infância pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-graduação da UFSCar e gestora do Centro de Referência Afro Mestre Jorge.

Vale lembrar que o Auditório da Sala 24 da Uniara está localizada à Rua Carlos Gomes,1338, no Centro da cidade.

SERVIÇO:
Mesa-redonda “Reflexões sobre a abolição da escravatura e a Reeducação das Relações Étnico-Raciais”
Local: Auditório da Sala 24 da Uniara (Rua Carlos Gomes, 1338 – Centro)
Data: quarta-feira (18 de maio)
Horário: 19h30
Grátis

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis