NOTÍCIAS

Voltar

Maio tem programação especial contra a LGBTfobia

4 de maio de 2018


Uma programação diversificada chega em maio, mês que é comemorado o Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia. A partir deste ano é também celebrado o Dia Municipal (17 de maio).

 A programação reúne coletivos, militantes e grupos de estudo da cidade na organização das atividades. De acordo com a assessora de Políticas Públicas LGBT, Filipe Brunelli, toda a programação busca dar visibilidade às discussões que cercam o cotidiano da população LGBT. “Foi no dia 17 de maio, há 27 anos, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID), por isso essa data”, explica.

 Filipe lembra que esse é um marco para a comunidade LGBT, já que afirma o direito das pessoas homossexuais a vivenciarem suas sexualidades, não cabendo considerá-las doentes ou anormais. “Porém, infelizmente, após quase três décadas, muitos LGBTs ainda passam por situações de preconceito, discriminação e opressão”.

 A população LGBT vivencia, cotidianamente, diversas experiências que resultam em significativo sofrimento psíquico, ou por se relacionar com manifestações de intolerância ou preconceito explícito, ou pela inserção em contextos familiares, sociais, culturais, jurídicos e legais – que os inferioriza e diferencia por meio da negação de direitos (entre eles: os direitos à existência e à manifestação pública de afeto). A agenda deste mês chega para garantir a visibilidade de LGBTs, a fim de conscientizar as pessoas e promover a cultura de paz.

 A programação de maio é uma realização da parceria estabelecida entre: Assessoria de Políticas Públicas LGBT, Grupo de Estudo Queerlombo, SsexBBox, UNESP, CENPE, NUPE, CLADIM, Coletivo UMLGBT, Museu da Diversidade Sexual de São Paulo, AKOMA, Núcleo Menino Andante, ProAC, Secretaria de Cultura do Estado de SP, Coletivo Diversitá em Foco, Diversidade Folia, Miss Gay – Miss Trans, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Conselho Municipal LGBT, Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular, Prefeitura de Araraquara e Câmara Municipal, por meio dos mandatos da vereadora Thainara Faria (PT) e Roger Mendes (PP).

Programação – Oficialmente, a programação teve início na última semana com a realização da 2ª Conferência Municipal de Políticas Públicas e Cidadania LGBT (LGBTQIA+), que trouxe para discussão o tema “Por uma Araraquara sem discriminação e livre de preconceitos”.

 Agora, a partir de maio, a programação tem início com o projeto teatral “Hecatombe”, apresentado pelo Núcleo Menino Andante via ProAC. “Hecatombe” é um projeto de artes integradas para o público juvenil-adulto. A peça coloca em cena conflitos entre corpo, formação da identidade, personalidade e o meio social, sendo também um manifesto contra a LGBTfobia. O espetáculo é cartaz neste sábado, 05 de maio, às 20 horas, no SESI Araraquara (Vila Xavier), com ingresso gratuito retirado 30 minutos antes do início do espetáculo. A classificação etária é para 14 anos.

 A exposição fotográfica coletiva “Cotidiano Plural”, vinda diretamente do Museu da Diversidade de São Paulo, é um dos destaques da programação e terá início nesta segunda-feira, 07 de maio, na Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa. Os interessados podem conferir os trabalhos até o final do mês, dia 31.

 No período de 07 a 11 de maio acontece a 1ª Semana Queerlombo – Marielle Franco, promovido pelo grupo de estudos da UNESP Queerlombo. Serão seis dias com debates que irão dialogar sobre etnias, gêneros, sexualidades e suas interseccionalidades.

 No dia 15 a programação destaca a “Caravana Queermuseu”, na UNESP, com um seminário que contará com a presença de Gaudêncio Cardoso Fidelis, curador da exposição realizada em Porto Alegre, abordando a cultura na arte em tempos de “democracia”.

 A cartilha municipal LGBTQIA+ terá seu lançamento no dia 17, na Prefeitura, trazendo um baseamento científico sobre sexualidade e gênero.

 O intuito é fornecer conhecimento para combater o preconceito, a cartilha também trará informações como: legislação de proteção aos LGBTs, estatísticas de Araraquara, datas comemorativas e fones úteis.

 Na Câmara Municipal, no dia 25, a partir das 19 horas, acontece a 1ª Roda de Conversa de Mães LBT e Mães de LGBTs, para a troca de experiências e informações. A ideia é lembrar a importância do apoio das famílias, para os LGBTs sentirem-se fortalecidos para lutar e conquistar o seu espaço.

 A programação se encerra no dia 27 com a 1ª Marcha dos Direitos Humanos e Cidadania LGBT, com concentração às 15 horas, em frente à Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis