NOTÍCIAS

Voltar

‘Nós, mulheres, não temos medo’, diz Eleonora Menicucci

13 de março de 2017


A programação especial do mês da mulher organizada pela Prefeitura de Araraquara contou com a presença da ex-ministra da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci, em mesa-redonda no Centro de Referência da Mulher “Heleieth Saffioti”, na manhã desta segunda-feira (13).

O bate-papo teve como tema: “Rede de atendimento às mulheres vítimas de violência e desafios para aplicação e avanço da Lei Maria da Penha”. A ex-ministra foi recebida pelo prefeito Edinho e por diversos secretários e convidados.

Socióloga e professora universitária, Eleonora elogiou o trabalho da Prefeitura com a remodelação do Centro de Referência da Mulher e ressaltou a importância da luta contra o patriarcado e a cultura machista na sociedade.

“O dia 8 de março foi a marca de que nós, mulheres, não temos medo. Somos 52% da população e mães da outra metade [da população]”, lembrou.

“Tem mulher apanhando e morrendo todos os dias. Se não mudarmos a cultura machista, isso não vai acabar”, disse. “Não acho que a violência tenha aumentado. As mulheres é que estão perdendo o medo, procurando os serviços. Se esses serviços acabam, para onde vão essas mulheres?”

Eleonora destacou a necessidade de lutar para que as delegacias de defesa da mulher estejam abertas em todos os dias da semana, 24 horas por dia. “Os crimes acontecem nos finais de semana e à noite. Temos que enfrentar esse desafio”, explicou.

A ex-ministra ainda criticou a Reforma da Previdência proposta pelo atual Governo Federal. “Igualar a idade de 65 anos e fazer trabalhar por 49 anos significa não reconhecer nenhuma das singularidades da vida da mulher, que menstrua, engravida, amamenta”, opinou.

Igualdade

Em sua fala, o prefeito Edinho destacou a presença da ex-ministra. “Tive a honra de ser ministro junto com a Eleonora. É uma mulher que lutou contra a ditadura e para vivermos em um Brasil democrático. Recebê-la em Araraquara tem um significado muito especial para mim”, confessou.

 

Segundo Edinho, o Centro de Referência da Mulher não irá apenas atender casos de violência, mas também focará no desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres. Para o prefeito, a busca pela justiça social é uma marcas de seu governo.

“Devemos lutar pela igualdade de gênero, pela igualdade racial, pelas políticas para pessoas com deficiência. Ou seja, precisamos perseguir uma cidade que busque a justiça social todos os dias.”

O evento também contou com a presença do vice-prefeito, Damiano Neto, da secretária de Planejamento e Participação Popular, Juliana Agatte, da coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, Amanda Vizoná, dos vereadores Paulo Landim (PT), Lucas Grecco (PSB) e Gerson da Farmácia (PMDB), além de outros integrantes da Prefeitura e convidados.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis