NOTÍCIAS

Voltar

Participação Popular será o eixo do governo, diz Edinho

1 de janeiro de 2017


“Quantas vezes eu voltar a ser prefeito de Araraquara, quantas vezes eu vou voltar a implantar o Orçamento Participativo”

A participação popular será eixo central do governo de Edinho. De acordo com o prefeito, que tomou posse neste dia 1º de janeiro, o Orçamento Participativo, instrumento de gestão utilizado nas suas duas administrações (2001-2008) será novamente implementado. “Isso para mim é um princípio. Quantas vezes eu voltar a ser prefeito de Araraquara, quantas vezes eu vou voltar a implantar o Orçamento Participativo. Para mim, essa é uma forma de você governar não escolhendo as coisas pela sua vontade ou do secretário e, sim, você decidindo o que vai fazer na cidade ouvindo a população”, destaca o prefeito eleito garantindo a retomada dos conselhos.

Confira aqui a entrevista concedida pelo prefeito Edinho ao Portal “Araraquara Já” em que fala sobre a participação popular e os desafios da nova gestão:

Edinho Silva diz que novo Governo exigirá criatividade e capacidade de gestão

Claudio Dias

Com o slogan, “O melhor para Araraquara” e buscando a comparação entre os oito anos da sua gestão com o mesmo período do seu sucessor, Edinho Silva (PT) foi eleito prefeito com 41,7% dos votos válidos e diplomado para assumir o Executivo a partir de 1º de janeiro. Em entrevista ao Araraquara Já admite ser difícil seguir o mesmo modelo de trabalho de anos atrás devido as dificuldades financeiras, por isso precisará ter muita criatividade e capacidade de gestão. Garantiu ainda basear seu Governo na participação popular, no retorno dos conselhos e das escolinhas de esporte, além da reorganização da saúde básica.

Na véspera de voltar à Prefeitura, Edinho passa o dia em reuniões ligadas a transição dos Governos. Primeiro foi para definir o secretariado e, agora, para iniciar o mandato. “Eu estou mais ansioso para começar a trabalho do que quando ganhei em 2001. É interessante! E olha que, em 2001, eu quase ‘matei’ minha equipe de tanto trabalhar. Chegava na Prefeitura às 7 da manhã e saia de lá 11 e meia da noite. Eu sei que os problemas da cidade de Araraquara não são pequenos, são grandes. São problemas que afetam a vida da população, mas acho que todos terão um prefeito com muita garra, determinação e mais experiente”.

O ‘jovem’ de 35 anos que assumiu a prefeitura há 15 anos, na opinião dele próprio, era um vereador determinado, mas sem qualquer experiência de uma administração municipal. “Hoje, não só tenho a experiência de oito anos na Prefeitura, mas também fui deputado estadual, dirigente político e ministro. É um prefeito com muita vontade e mais experiência”, observa o Edinho que, segundo assessores, não desliga. “Eu tenho um jeito calmo, mas funciono a mil por hora. Como eu acordo muito cedo, já saio acionando todo mundo mesmo de madrugada”.

Edinho Silva tem consciência de que foi eleito muito pelo que fez no passado. Agora, no entanto, será diferente. “A realidade da Prefeitura é outra. Eu vou encontrar uma Prefeitura com muitas dificuldades financeiras. Governei oito anos com as contas equilibradas e com capacidade de investimento. Claro que agora vai exigir muito mais de mim: mais criatividade, mais capacidade de gestão. Tanto é que eu estou propondo à Câmara Municipal um enxugamento grande na máquina para que possa sobrar recursos para a gente enfrentar os problemas que a cidade tem hoje”.

Mesmo assim, o prefeito eleito garante que voltará a implantar o Orçamento Participativo (OP). “Isso para mim é um princípio. Quantas vezes eu voltar a ser prefeito de Araraquara, quantas vezes eu vou voltar a implantar o Orçamento Participativo. Para mim, essa é uma forma de você governar não escolhendo as coisas pela sua vontade ou do secretário e, sim, você decidindo o que vai fazer na cidade ouvindo a população”, destaca o prefeito eleito garantindo a retomada dos conselhos.

Para ele, esses espaços são de fiscalização, mas também podem e devem formular propostas em cada um dos temas importantes no município. “Os conselhos vão funcionar. E se não funcionarem eu irei trocar porque foi assim que eu sempre fiz. Quem entra nos conselhos deve estar presente, tem que ir para as reuniões, tem que efetivamente fazer com que os conselhos funcionem. Se não, sai e iremos colocar outras pessoas. Mas a participação popular terá uma participação muito importante na organização das minhas ações enquanto prefeito”.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis