NOTÍCIAS

Voltar

Patrimônio ganha 200 novas molduras para o Acervo Paulo Mascia

6 de julho de 2017


A Coordenadoria de Preservação do Patrimônio Histórico, ligada à Secretaria Municipal de Cultura, comemora mais uma doação a Araraquara no aniversário dos seus 200 anos: a fim de preservar as obras do Acervo Paulo Mascia, que faz parte da Pinacoteca Mario Ybarra de Almeida, a Imobiliária Raio de Sol doou 200 novas molduras para os quadros do acervo.

 

Uma das primeiras ações da Coordenadoria este ano teve início com a produção de um inventário da coleção de obras de arte da Pinacoteca “Mario Ybarra de Almeida”. A coordenadora de Preservação do Patrimônio Histórico, Fabiana Virgílio, conta que, mais do que checar as diferenças entre os números da transição e a realidade, foi feita uma análise criteriosa das condições de cada tela e as necessidades emergenciais para salvaguardar o acervo.

 

De acordo com a coordenadora o local estava sujo e infestado de cupins e a Pinacoteca estava sendo tratada como depósito (e não acervo). “Precisávamos criar mecanismos emergenciais para tentar dirimir a ação do tempo nesse tão valioso acervo municipal”, explica.

 

Ainda, para auxiliar nas necessidades do acervo, a Coordenadoria iniciou o remanejamento de um profissional capacitado para salvaguardar o acervo e também a criação de Oficina de Trabalho para higienização permanente das obras existentes.

 

Vale destacar que o pintor Paulo Mascia (1919-1991), falecido aos 72 anos, registrou em suas telas, com muita sensibilidade, os recantos de Araraquara, prédios e praças e, também com seus textos literários, preservou a memória e a tradição da cidade.

 

A secretária municipal da Cultura, Teresa Telarolli, agradeceu o apoio da Imobiliária Raio de Sol e lembrou que o gesto da empresária Edineusa Francisco dos Santos  é de muita relevância para a preservação da memória da cidade. “Resgatar a memória é essencial para que um povo se perceba como sujeito de sua própria história”, enfatizou a secretária.

Britos

Teresa lembra que a empresa Safebox digitalizou o processo histórico da morte dos Britos – também um presente da empresa para a população de Araraquara nos 200 anos da cidade. O documento, com mais de 600 páginas, devido às constantes consultas da população se encontrava em mau estado de conservação. “Com a digitalização, preservaremos os documentos para as futuras gerações”, pontua a secretária.

 

As próximas ações da Coordenadoria implicam na criação e implantação da Política de Aquisição e Descarte de Acervos e também no total apoio à renovação e retomada das atividades do Compphara (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Paleontológico, Etnográfico, Arquivístico, Bibliográfico, Artístico, Paisagístico, Cultural e Ambiental do Município de Araraquara).

 

Ainda, a Coordenadoria vem elaborando o Programa Museu Vivo, que visa garantir um diferencial nos espaços museólogos, com atores conduzindo as monitorias. O projeto prevê garantir que os espaços museológicos possam receber atividades culturais de diferentes linguagens para valorizar e estimular as suas visitações, proporcionando por meio da interação com o público uma maior divulgação e conhecimento dos acervos tanto materiais quanto imateriais da cidade.

 

Sobre Paulo Mascia

O pintor retratou a cidade, seus prédios e logradouros, e preservou em suas telas a tradição e a memória de Araraquara, com cores inconfundíveis. Procurou em seu trabalho retratar o cotidiano da cidade, em diferentes paisagens urbanas, rurais, ferrovias, igrejas, e pessoas.

 

A sensibilidade desse grande artista registrou em suas telas além do quê seus olhos viam: registrou o que sua alma sentia por Araraquara, sua terra querida.

 

Seus trabalhos fazem parte de coleções particulares e, no início de 1999, a Fundart, adquiriu da família do pintor 204 obras para o acervo da Pinacoteca Municipal. Outras obras de sua autoria fazem parte do acervo e foram doadas por pessoas de Araraquara.

 

Paulo Mascia faleceu em 29 de maio de 1991, com 72 anos. O artista foi homenageado postumamente pelo município, em 1998, com a inauguração do Espaço Cultural Paulo Mascia, localizado na Praça Pedro de Toledo. Também, em 2010, recebeu homenagem no VIII Território da Arte de Araraquara com a Sala Especial no Palacete das Rosas Paulo A.C. Silva.

 

O artista era considerado um homem generoso com a arte e com a vida, de temperamento afável e estimado por todos. Fez seus primeiros estudos no Grupo Escolar Antônio Joaquim de Carvalho e desde a infância já demonstrava inclinação para a pintura – linguagem que desenvolveu como autodidata.

 

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis