NOTÍCIAS

Voltar

População LGBT escolhe Centro de Referência em plenária do OP

22 de maio de 2017


A comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) escolheu, por aclamação, um Centro de Referência LGBT como prioridade a ser executada no orçamento de 2018 da Prefeitura.

 

A plenária temática LGBT do OP (Orçamento Participativo) foi realizada no Teatro Wallace Leal Valentim Rodrigues, na noite de sexta-feira (19), e reuniu cerca de 50 pessoas.

 

Cinco representantes foram eleitos para o OP, quatro representantes para o Conselho do OP e dois integrantes para o Conselho Municipal LGBT.

 

O pedido vencedor é de um local que ofereça todo acolhimento à comunidade LGBT. “A escolha sintetiza o desejo de um espaço que encaminhe políticas públicas para a população LGBT, com assistência médica, psicológica, social, capacitação profissional, enfim, um centro que ofereça todos os serviços necessários”, explicou o prefeito.

 

“Fiquei impressionado com a qualidade das intervenções e muito feliz de estarmos fazendo um debate que aponte para o futuro e colabore na construção de uma cidade que seja igualitária e sem preconceitos”, opinou. “A população LGBT tem que sair dos guetos, dos escuros, das omissões, do preconceito, da discriminação, e vir para a luz da cidadania.”

 

É só o começo

 

Para a assessora de Políticas LGBT, Filipe Brunelli, a plenária foi “só o começo”. “O Centro de Referência é uma luta de muitos anos. Foi uma participação incrível. O movimento está organizado. Exigimos nossos direitos e estamos aqui para lutar por isso”, declarou.

 

A secretária de Planejamento e Participação Popular, Juliana Agatte, lembrou que, no segundo semestre, uma Conferência Municipal LGBT será organizada para elaborar o Plano Municipal LGBT, que irá estabelecer diretrizes de trabalho.

 

Representando a Câmara, a vereadora Thainara Faria (PT) disse, antes de a plenária começar, que esperava que a comunidade LGBT escolhesse “uma prioridade de todos”, tirando “os olhos do umbigo” e olhando para frente.

 

Já a deputada estadual Márcia Lia (PT) destacou a importância do encontro. “A gente inova e quer construir uma política pública para toda a população de Araraquara. Precisamos de um mundo com mais amor e menos preconceito.”

 

Presente à plenária, a cantora Natália Fernanda Vespa lembrou que uma lei estadual (nº 10.948/01) protege a comunidade LGBT contra discriminações. “A gente quer fazer não só a luta pelo espaço nosso, mas também essa troca de informação”, disse.

 

O artista Eduardo Valentim Massari ressaltou a importância da participação popular. “É importante que a gente esteja ocupando todos os espaços, principalmente dentro da política, que também é feita para nós.”

 

Ainda estiveram na plenária o vereador Roger Mendes (PP) e diversos secretários, coordenadores e assessores da Prefeitura.

 

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis