NOTÍCIAS

Voltar

Prefeito inaugura nova sede do Centro Afro

11 de maio de 2018


O Centro de Referência Afro “Mestre Jorge” ganha um novo espaço nesta terça-feira (15). O prefeito Edinho entrega a nova sede que está localizada na região central, próxima à Prefeitura, em um espaço térreo com melhor acessibilidade, uma estrutura física mais versátil, além de locação mais econômica para os cofres públicos.

A abertura do novo espaço marca também o lançamento da programação “Da abolição ao reconhecimento”, realizada em referência ao Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo, 13 de maio. Em sua segunda edição, as atividades propostas pela Coordenadoria Executiva de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular – seguem até o dia 24 de maio.

Luiz Fernando Costa de Andrade, coordenador executivo de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, conta que na inauguração da nova sede do Centro de Referência Afro será realizada a apresentação do Plano Municipal de Combate a Discriminação e ao Racismo. “O Plano Municipal é de suma importância para que as ações políticas propostas tenham apoio nas discussões realizadas pela população na oportunidade da Conferência de Combate à Discriminação e ao Racismo, pautando e legitimando as ações e o investimento de recursos, no sentido de dar lisura e seriedade a uma política que lida constantemente com questionamentos e desconhecimentos do seu real fundamento e mérito”.

Prioridade da Temática da Igualdade Racial

Na mesma ocasião, o prefeito Edinho fará a entrega da primeira prioridade eleita no Orçamento Participativo de 2017, neste caso, na Plenária de Igualdade Racial de 2017: a destinação de recursos para o Fundo Municipal da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo de Araraquara. O Comcedir ficará responsável pela apresentação do Plano de Trabalho para utilização dos recursos do Fundo.

Também está previsto o lançamento da atividade de conscientização em parceria com os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), cuja temática será “O que significou o 13 de maio de 1888? O que é Racismo?”.

Vale destacar que, dentro das atividades com os CRAS, a agenda será a seguinte: dia 14, às 8h30, no CRAS Cruzeiro do Sul; dia 15, às 14h, no CRAS São Rafael; dia 16, às 9h e dia 17, às 14h, no CRAS Yolanda Ópice; dia 18, às 8h15, no CRAS Hortências; dia 21, às 13h30, no CRAS Selmi Dey; dia 22, às 9h, no CRAS Vale do Sol; dia 23, às 8h30, no CRAS Cecap; e dia 23, às 13h45, no Centro da Juventude.

“As atividades se constituem em rodas de conversas com os grupos já assistidos pelos Centros de Referência da Assistências Social, ou seja, jovens, mulheres e idosos, no sentido de sanar dúvidas sobre os temas relacionados ao fim da escravidão no Brasil e o racismo, com vistas a propiciar m entendimento desses assuntos em si e de como eles sustentam e legitimam as discussões e políticas públicas relacionadas. Eu mesmo serei o promotor e fomentador das interações contando com membros do conselho e voluntários que se dispuseram a acompanhar as atividades quando não se chocarem com seus compromissos cotidianos”, conta.

Oficinas no Centro Afro

O coordenador lembra que no dia 15, durante a inauguração da nova sede do Centro Afro e entrega da prioridade da Temática da Igualdade Racial do OP 2017, ainda, divulgará informações sobre o retorno das Oficinas Culturais ao Centro de Referência Afro.

“A Secretaria de Cultura cedeu oficinas de Youtuber, dança contemporânea, break e percussão. Vamos, entre o mês de maio e junho, viabilizar oficinas que desenvolvam projetos nas linguagens de fotografia e cavaquinho. Esperamos que com a economia que teremos com o aluguel possamos ir aos poucos consolidando e diversificando a oferta de serviços”.

A programação da Semana “Da Abolição ao Reconhecimento” segue até o dia 24 de maio com todas as atividades gratuitas, com o objetivo de provocar reflexões e debates acerca das políticas de promoção da igualdade racial, com a participação da sociedade civil.

A ideia é difundir conceitos e práticas e fortalecer iniciativas que visem à promoção da igualdade racial e o combate à discriminação e ao racismo, fazendo valer os dispositivos legais que fundamentam e regulamentam essa política e sua implementação.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis