NOTÍCIAS

Voltar

Última quinzena de maio tem programação referente ao Dia de Denúncia Contra o Racismo

9 de maio de 2018


“Da abolição ao reconhecimento” – este é o nome da programação que acontece de 14 a 24 de maio, em referência ao Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo. Em sua segunda edição, as atividades propostas pela Coordenadoria Executiva de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular – são gratuitas e abertas a todos interessados.

A programação tem o objetivo de provocar reflexões e debates acerca das políticas de promoção da igualdade racial, com a participação da sociedade civil. A ideia é difundir conceitos e práticas e fortalecer iniciativas que visem à promoção da igualdade racial e o combate à discriminação e ao racismo, fazendo valer os dispositivos legais que fundamentam e regulamentam essa política e sua implementação.

Para Luiz Fernando Costa de Andrade, coordenador executivo de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, a agenda visa atualizar e subsidiar atores políticos e institucionais que executam ou replicam, a partir de suas atuações específicas, as políticas que tratam os temas relacionados aos debates políticos e culturais voltados às questões étnico-raciais.

“Por se tratarem de conceitos comuns aos debates macro políticos, a proposta é que, em articulação com os atores mencionados, possamos qualificar o debate e apontar possibilidades para que se efetivem as políticas, respeitando nossas atribuições e o desafio de adequar tais demandas ao nosso contexto municipal. Transversais que sejam, as políticas municipais que tratam das questões étnico-raciais têm por finalidade a garantia de direitos, a promoção da igualdade racial e o combate à discriminação e ao racismo em suas diversas dimensões: estrutural/cultural, comportamental e institucional”, analisa o coordenador. “Estas políticas, direta e/ou indiretamente, atuarão para o reconhecimento da população negra e das contribuições do movimento negro e estudos acadêmicos nesse campo, buscando sempre o debate amplo e a conscientização permanente”, finalizou.

Programação – As atividades terão início na terça-feira, 15 de maio, com a inauguração da nova sede do Centro de Referência Afro Mestre Jorge, às 9 horas. A abertura contará com a apresentação do Plano Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo e do Plano de Aplicação de Recursos, por meio do Fundo Municipal da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo de Araraquara, programa eleito como prioridade na Temática Racial do Orçamento Participativo em 2017. Também está previsto o lançamento da atividade em parceria com os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), cuja temática será “O que significou o 13 de maio de 1888? O que é Racismo?”.

Vale destacar que, dentro das atividades com os CRAS, a agenda será a seguinte: dia 14, às 8h30, no CRAS Cruzeiro do Sul; dia 15, às 14h, no CRAS São Rafael; dia 16, às 9h e dia 17, às 14h, no CRAS Yolanda Ópice; dia 18, às 8h15, no CRAS Hortências; dia 21, às 13h30, no CRAS Selmi Dey; dia 22, às 9h, no CRAS Vale do Sol; dia 23, às 8h30, no CRAS Cecap; e dia 23, às 13h45, no Centro da Juventude.

O Teatro Wallace Leal Valentin Rodrigues recebe, na sexta-feira, dia 18, a partir das 19 horas, o OP Temático da Igualdade Racial, seguido pela Feira Cultural Sabores D’áfrica – atividade integrante do Projeto da XIV Semana Acadêmica Africana de São Carlos-SP.

“O papel do esporte na formação cidadã de crianças e adolescentes por meio das discussões em torno das relações étnico-raciais” – este é o tema da palestra destinada aos monitores das Escolinhas de Esporte na segunda-feira, dia 21, às 9 horas, no Gigantão.

Na terça-feira, dia 22, às 19 horas, no Salão Nobre da Uniara, acontece o lançamento do processo de implementação do Programa Municipal de Saúde da População Negra “Dona Nair Claudino”, para o exercício de 2018.

Na quarta-feira, dia 23, a programação volta à Câmara Municipal de Araraquara, onde será realizada a mesa redonda “Para além dos 200 anos – os porquês e a necessidade de reconhecermos negros e indígenas na história oficial de Araraquara”. O debate terá início às 19 horas.

Na quinta-feira, dia 24, as atividades serão realizadas durante todo o dia. Pela manhã, às 9 horas, na Sala de Reuniões da Prefeitura Municipal (6º andar) haverá a articulação da rede de atores institucionais responsáveis pelo combate aos crimes causados por motivação racista e de intolerância religiosa – “SOS Racismo”.

À tarde, às 14 horas, na Entidade Sacrário de Amor, acontece a roda de conversa “A questão racial e a política sobre drogas”. A atividade será realizada em parceria: CEPPIR – Assessoria de Políticas para a Juventude e o Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas.

Depois, às 19 horas, no SENAC-Araraquara, uma mesa redonda abordará economia global, comércio local, consumo e discussões sobre empreendedorismo relacionadas às questões étnico-raciais.

Participe.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis