NOTÍCIAS

Voltar

“Velha-guarda” se reúne no Centro Afro para roda de conversa

21 de março de 2017


Com muita sabedoria e desprendimento, o grupo de senhoras negras e interessados em geral se reuniu no Centro Afro Mestre Jorge, homenageando o Mês das Mulheres e também o Dia Internacional de Combate ao Racismo (21 de março) com uma roda de conversa promovida pela Coordenadoria Executiva de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (CEPPIR) da Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular.

Além das jovens senhoras participantes, também marcaram presença: a secretária de Planejamento e Participação Popular, Juliana Agatte; o coordenador da CEPPIR, Luiz Fernando Costa de Andrade; a coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, Amanda Vizoná; o coordenador de Políticas para juventude, Guilherme Floriano; a coordenadoria de Políticas para Pessoas com Deficiência, Elisa dos Santos Rodrigues.

No encontro com a “velha-guarda” – como as senhoras mesmas se definem – as vivências e as experiências individuais direcionam a um bate-papo cheio de sabedoria, com temas variados. “Essas mulheres são nossas referências em ancestralidade”, aponta o coordenador da CEPPIR. Ele conta que o encontro dá sequência a uma atividade desenvolvida pelo grupo de senhoras mensalmente no Centro de Referência Afro. “Certamente uma grande lição de vida vimos aqui. Uma das melhores formas de se combater o racismo e vivenciar momentos de valorização da nossa vida e memória por meio daquelas e daqueles que nos conectam com nossa ancestralidade”, defendeu.

Os debates abordaram questões geracionais, raciais e de gênero, “valorizando seus locais de fala e visão sobre a cidade e a atual conjuntura sociocultural”. Anemia falciforme, uso demasiado da internet, a educação de hoje em dia foram alguns dos muitos temas que foram abordados na pauta e, claro, a necessidade de mais encontros entre essas mulheres.

A secretária Juliana Agatte reforçou a ideia de o espaço ser referência para discussões e para formular projetos e oficinas do interesse das participantes. “Vamos fortalecer esse espaço para contribuir com o pensar social. Será um espaço para conversar sobre a história de cada um, para participar de uma construção coletiva”.

“Entendemos que realizar este evento nesta data é de grande simbologia, uma vez que alcançar a terceira idade para uma população que costuma experimentar condições de vida menos favoráveis é sinônimo de vitória”, disse Luiz Fernando. Após o bate-papo, foi servido um café da tarde para todos os participantes.

Voltar

Acesso Rápido

Siga-nos no Facebook

Links Úteis