Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2021 / AGOSTO / 06 / Inscrições para os Cafés de Investigação começam nesta segunda (09)

Cultura

Inscrições para os Cafés de Investigação começam nesta segunda (09)

Atividade tradicional da SLAMC tem vagas limitadas e necessitam de inscrição prévia; confira o link para a inscrição
Cafe Neyde Veneziano.jpg

 

 

 

Os Cafés de Investigação realizados durante a Semana Luís Antonio Martinez Corrêa (SLAMC) são tradicionais na programação do evento, sempre trazendo artistas para dividirem seus conhecimentos com o público interessado. Nesta da 33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa, a programação dos Cafés começa no próximo dia 15, contando com 5 encontros.

Os Cafés de Investigação acontecem por meio da plataforma Zoom, com a mediação da curadora Flávia Marquetti. A programação apresenta: “Oe” (dia 14, às 21h15), atores e diretores selecionados por edital (dia 15), Neyde Veneziano (dia 17, às 19h), Gilberto Grawonski (dia 19, às 19h), e “Vizinhos” (dia 20, às 22h05) com os atores das cias.

Para participar da programação dos Cafés de Investigação é necessária inscrição prévia. As inscrições serão realizadas a partir do dia 09 de agosto, pelo link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScERgdKd6K0iHzb5YeCN4iIC9ImAqKBo2243AWXLXVq2pmnwQ/viewform.

Vale destacar que a programação da 33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa terá início no próximo dia 14 de agosto, com diversas atividades, como: apresentações, encontros, exibições e musicais, além dos Cafés.

Nesta edição que destaca o Teatro Musical Brasileiro, sob a curadoria de Flávia Marquetti, a maior parte das atividades será realizada pelo canal da Prefeitura de Araraquara no YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCL5kjGJiDmG6Rz9_UANvvLA). Por meio deste link é possível acompanhar: a abertura do evento, os espetáculos convidados, as Cenas Curtas e musicais selecionados por meio de edital e as Pílulas da Felicidade. Não é necessária a inscrição prévia.

Toda a programação é gratuita. A 33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa é uma realização da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, com a parceria com o Sesc Araraquara, Senac e Unesp. A programação completa da Semana LU(i)Z Antonio pode ser acompanhada pelo site da Prefeitura de Araraquara (http://www.araraquara.sp.gov.br/slamc/ ).

 

Confira mais sobre a programação dos Cafés de Investigação:

 

14/08 – 21h15 – Café de Investigação com Eduardo Okamoto

O Café discutirá a peça “OE” e a estética utilizada.

Eduardo Okamoto é ator, Bacharel em Artes Cênicas (2001), Mestre (2004) e Doutor (2009) em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde leciona. Realizou estágio de pós-doutorado no Theatre and Performance Department of Goldsmiths University of London (2019).

Sua formação inclui experiências com criadores diversos, dentre os quais se destacam: Newton de Souza, Suzi Frankl Sperber, Lume Teatro, Verônica Fabrini, Marcelo Lazzaratto, Maria Thais, Marcio Aurelio, Marie-Garielle Rotie e Yumiko Yoshioka.

É representado pela SIM! Cultura, produtora cultural gerida por Daniele Sampaio. Apresentou-se no Brasil e no exterior: Espanha, Suíça, Alemanha, Marrocos, Kosovo, Escócia e Polônia.

Em sua trajetória, destacam-se, os espetáculos: “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2006); “Eldorado” (2009); Recusa” (2012); “OE” (2015); “O Dragão de Fogo” (2017). Dentre diversas distinções como ator, foi duas vezes indicado ao Prêmio Shell (2009 e 2012) e recebeu o Prêmio APCA (2012).

Participou de séries exibidas pela TV Cultura e para o Canal AXN. Atuou no curta “Natureza Morta”. É autor do livro “Hora de Nossa Hora: o menino de rua e o brinquedo circense” (Editora Hucitec, 2007).

 

15/08 – 19h - Café de Investigação com grupos selecionados para a 33ª SLAMC

O Café discutirá as propostas estéticas dos grupos selecionados para a 33ª SLAMC. Participam os atores das companhias: “En)Cantar: Histórias de Infâncias”, com Amanda Rosa e Guilherme Garboso; “Cia. Parangolés”, com Tania Capel e atores; “Fractal Plataforma Artística”, com Irail Rezende e Rodolfo Groppo; “NalaSue”, com Nerita Pio e Ahigor; “Teatro da Maré”, com Domenica Morvilho e Silveira; além dos atores Victor Ferrari e Wendy Moretti; Vitorugo.

 

17/08 – 19h - Café de Investigação com Neyde Veneziano

Pretende discutir o Teatro Musical Brasileiro, tema da 33ª Semana Luiz Antonio Martinez Correa, a importância do Teatro Musical para a cena brasileira, e comentar o documentário “Mamãe, Quero ser Vedete”, a ser exibido no dia 16 de agosto na programação da Semana.

Neyde Veneziano é especialista em Teatro Musical Brasileiro, tendo dirigido 40 espetáculos em São Paulo e outros em Campinas, Florianópolis, Lisboa (PT) e Milão (IT).

Recebeu vários prêmios por suas encenações, entre eles dois APCAs, dois Mambembes e uma indicação ao Shell-2013 como Melhor Diretora por “Mistero Buffo”, com o Grupo LaMinima (Domingos Montagner e Fernando Sampaio).

Em 1988/1989, seu espetáculo “Revistando o Teatro de Revista” conquistou mais de 15 prêmios, tendo permanecido dois anos em cartaz, apresentando-se em temporada no Rio de janeiro e São Paulo e em vários teatros do Brasil.

Neyde é Professora Doutora em Artes Cênicas pela USP, professora orientadora na UNICAMP e autora de cinco livros sobre Teatro de Revista, sendo considerada a pesquisadora brasileira precursora na área de teatro musical.

Entre 2000 e 2001, viveu na Itália, fazendo seu pós-doutorado sobre Dario Fo, na Universidade de Bolonha. Desta importante pesquisa resultou seu livro “A Cena de Dario Fo: o exercício da imaginação” (Ed. Nobel). Este é o único trabalho sobre Dario Fo escrito em língua portuguesa.

Em 2019, lançou o documentário intitulado “Mamãe, Quero ser Vedete” que apresenta atrizes do antigo Teatro de Revista ao lado de Silvio de Abreu e Claudia Raia, como representantes contemporâneos do gênero. Trata-se de mais uma obra de Neyde Veneziano com o propósito de valorizar a brasilidade em palcos paulistanos.

 

19/08 – 19h - Café de Investigação com Gilberto Grawonski

Este Café pretende discutir o Teatro Musical Brasileiro, tema da 33ª Semana Luiz Antonio Martinez Correa, bem como a experiência de Gilberto Grawonski junto a Luís Antonio Martinez Correa.

Gilberto Grawonski  é diretor, cenógrafo e ator com importantes prêmios em seu currículo: Shell, Mambembe, Sharp, APCA, Qualidade Brasil e Açorianos. Dirigiu dança contemporânea, óperas e textos teatrais.

Gaúcho radicado no Rio de Janeiro, apresentou durante 15 anos a criação performática do conto “Dama da noite”, de Caio Fernando Abreu, em vários países e em diferentes idiomas.

Formou-se na CAL em 1985 com o espetáculo “Ataca, Felipe!”, dirigido por Luís Antonio Martinez Correa, espetáculo de pesquisa das revistas de ano de Arthur Azevedo. Recém formado, Gilberto foi convidado por Luís Antonio Martinez Correa para fazer sua assistência em “Theatro Muzical Brasileiro”, e após seu falecimento assumiu a manutenção artística do espetáculo, inclusive a substituição do personagem interpretado por Luís.

Foi assistente de Naum Alves de Souza em “Cenas de Outono” de Mishima e no show “Francisco” de Chico Buarque. Criou todo o universo do pop através de seu espetáculo “POP by Gawronski”, ironizou a si próprio criando “Quero Ser Gilberto Gawronski”.

Em dança criou “Sertão”, em Amsterdam, e fez a direção teatral de “Cruel” da Cia. De Dança Deborah Colker. Em 1990, dirige e interpreta “Uma História de Borboletas”, mais um texto do amigo Caio. Montou, dirigiu e atuou em “Na Solidão dos Campos de Algodão”, arrebatando o Troféu Mambembe de melhor espetáculo em 1996. Atuou em “Gaivota – Tema para um Conto Curto”, criação de Enrique Diaz baseada na obra de Tchekhov. Ganhou o Prêmio Shell pela cenografia de “Por Uma Vida Um Pouco Menos Ordinária”, de Daniela Pereira de Carvalho, trabalho que também assina a direção. Dirigiu, produziu e atuou em “Medida por Medida” de Shakespeare.

Dirigiu o musical “Estúpido Cupido” em 2015. Apresentou por 10 anos o solo teatral “Ato de Comunhão” de Lautaro Vilo.  Em 2019 atuou no espetáculo “A Ira de Narciso”, pelo qual recebeu o Prêmio Shell, Aplauso Brasil e APTR.

 

20/08 – 22h05 – Café de Investigação com Cia. de Teatro Íntimo

Participam os atores da Cia. de Teatro Íntimo: Renato Farias, João Manuel e Dodi Cardoso. O Café abordará a estética da peça “Vizinhos” (que será exibida no dia 21 de agosto, às 20h45), os novos formatos utilizados em função da pandemia e a ligação do Renato e Dódi com Luís Antonio e o Teatro Musical Brasileiro.

Renato Farias assina a direção e roteiro dos espetáculos: "Negra Palavra Solano Trindade" e "Stonewall 50". Ambos os trabalhos cumpriram temporadas presenciais em vários teatros no RJ, SP e RS. E, posteriormente, estrearam versões digitais durante o período de pandemia. Stonewall 50 integrou o Projeto Cultura em Casa. E Negra palavra Solano Trindade cumpriu temporada de 4 meses online via Sympla. Roteiro e apresentação dos programas semanais Bate Papo na Saúde e Ciência & Letras, do Projeto Canal Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz.

no espetáculo "220 Cartas de Amor", com apresentação no Rio de Janeiro. Direção do Projeto Ocupação das Redes Sociais da Companhia de Teatro Íntimo, com 15 semanas de programação diária inédita entre os meses de julho e outubro de 2020, com vídeos, depoimentos e montagens especiais para a ocupação. Roteiro, edição e apresentação do projeto 15 semanas em 15 lives, com a presença de importantes artistas, escritores, músicos, poetas, professores e representantes de destaque da sociedade civil.

Professor em oficinas de teatro e poesia no Rio de Janeiro, em Campinas/SP e em Alegrete/RS.  Foi professor de interpretação na Oficina de Atores da Rede Globo.

João Manoel: ator, carioca, formado pela faculdade CAL de Artes Cênicas. Estuda teatro desde os quinze anos. Já atuou em publicidades pra grandes marcas, além de trabalhos com Teatro Musical. Atualmente, inicia sua carreira como escritor, e dá seguimento a projetos para audiovisual pela Academia Nacional de Cinema, TV, Webseries e teatro.  

Dodi Cardoso é treinador vocal terapêutico, ator e cantor. Trabalhando há muitos anos no mercado Teatral, Cinema e Tv com alguns dos grandes profissionais como Camilla Amado, Aderbal Freire Filho, Arnaldo Jabor, Paulo Betti, Ciro Barcellos, Jorge Fernando, Gustavo Paso, Joao Bethencourt, Wolf Maya, Denise Sarraceni, Luiz Fernando Carvalho Norma Bengell, Daniel Filho. Primeiro Treinador Vocal a ser citado numa crítica por Barbara Heliodora por seu trabalho elaborado em Ariano, no CCBB Rio. Desenvolvendo sua própria metodologia em formação pela Star Edge International, em Orlando nos EUA, e Vocal Power, em Los Angeles.

 

 

registrado em: , ,