Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2021 / AGOSTO / 11 / Documentário “Mamãe eu quero ser vedete” é destaque na segunda-feira (16)

Cultura

Documentário “Mamãe eu quero ser vedete” é destaque na segunda-feira (16)

Diretora do documentário, Neyde Veneziano, é a maior autoridade em Teatro de Revista; ela participa do Café de Investigação no próximo dia 17
Documentario Mamae quero ser vedete (2).jpeg

 

 

 

“Mamãe eu quero ser vedete”, documentário de Neyde Veneziano, é o destaque da programação desta segunda-feira, 16 de agosto, na 33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa. A exibição gratuita acontece no canal da Prefeitura de Araraquara no YouTube, pelo link: https://www.youtube.com/channel/UCL5kjGJiDmG6Rz9_UANvvLA .

O documentário “Mamãe eu quero ser vedete” trata de um tema hoje quase perdido no passado do teatro de brasileiro: a importância da vedete no teatro de revista.

Através de entrevistas, trechos de filmes, documentos e fotos, o documentário recupera, de forma leve e divertida, as histórias emocionantes dessas mulheres que lutaram contra o preconceito por amor à sua arte. Músicas da época, criadas especialmente para as vedetes do teatro de revista e compostas por compositores significativos da nossa história musical, são citadas e executadas, trazendo sucessos e marchinhas da MPB.

A influência marcante dessas atrizes na sociedade brasileira até os anos de 1960, provoca uma reflexão sobre o respeito pelo nosso passado e pelas nossas tradições.

O documentário é uma continuação e uma ilustração “viva” do livro “As Grandes Vedetes do Brasil”, de Neyde Veneziano, editado pela Coleção Aplauso. Neyde Veneziano, a diretora do documentário, é também a mulher que introduziu o teatro de revista na Unicamp.

Autora de cinco livros sobre teatro de revista, ela é a maior autoridade no assunto e sua pesquisa já tem mais de vinte anos. Vedetes sempre foram muito admiradas, porém pouco estudadas. Como um arlequim, essa personagem-fixa do Teatro de Revista vai se modificando de acordo com a época a que pertence. Capaz de dizer coisas profundas com ar de banalidade, essas criaturas transgressoras representaram, durante um bom tempo, o ideal de beleza e liberdade da mulher brasileira.

“Mamãe eu quero ser vedete” tem classificação livre e conta com 49 minutos de duração.

A 33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa, é uma realização da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, com a parceria com o Sesc Araraquara, Senac e Unesp. Esta edição, com curadoria de Flávia Marquetti, destaca o Teatro Musical Brasileiro. Toda a programação é gratuita e pode ser acompanhada pelo site da Prefeitura de Araraquara (http://www.araraquara.sp.gov.br/slamc/).

 

Ficha técnica - “Mamãe eu quero ser vedete”

Direção geral: Neyde Veneziano

Direção musical: Nelson Pinton - Vitrola Digital

Entrevistados: Brigite Blair, Carmen Veronica, Claudia Raia, Eloína Ferraz, Esther Tarcitano, Iris Bruzzi, Janete Jane, Lilian Fernandes, Marly Marley, Silvio de Abreu e Virginia Lane

Duração: 49 minutos

Classificação indicativa: livre

 

SERVIÇO:

33ª Semana LU(i)Z Antonio Martinez Corrêa

Dia: segunda-feira (16 de agosto)

Onde: Canal da Prefeitura de Araraquara no YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCL5kjGJiDmG6Rz9_UANvvLA)

 

Programação:

  • 19h30 – Cena Curta “Jheny [in]quieta”, com Nerita Pio
  • 19h45 – Pílulas da Felicidade, “Amanhã de manhã”, com alunos da Escola de Dança Iracema Nogueira
  • 20h – Documentário “Mamãe eu quero ser vedete”, de Neyde Veneziano

 

Grátis

Mais informações: http://www.araraquara.sp.gov.br/slamc/

registrado em: , ,