Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2021 / DEZEMBRO / 03 / Ampliação do videomonitoramento em Araraquara é tema da reunião do GGI

Segurança

Ampliação do videomonitoramento em Araraquara é tema da reunião do GGI

Gabinete de Gestão Integrada visa desenvolver, avaliar e monitorar os programas e ações estratégicas dirigidas à prevenção e controle da criminalidade no município
Reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) na Prefeitura 02.jpg

 

 

 

A reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), com a participação de representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Guarda Civil Municipal, secretários municipais e representantes da sociedade civil, entre eles integrantes do comércio, foi realizada nesta quinta-feira (2), na Sala de Reuniões da Prefeitura Municipal.

Vinculado ao gabinete do prefeito, o GGI tem sua Secretaria Executiva sob a responsabilidade do secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, coronel João Alberto Nogueira Júnior, e tem como principal atribuição desenvolver, avaliar e monitorar os programas e ações estratégicas dirigidas à prevenção e controle da violência e criminalidade no município.

O GGI existe desde 2017, no início do mandato anterior de Edinho, mas teve suas reuniões suspensas em 2020 por causa da pandemia da Covid-19 e em 2021 o grupo retomou as reuniões de forma virtual, por plataforma online. A reunião desta quarta marcou o retorno dos encontros presenciais.

O secretário abordou dois assuntos principais na reunião. O primeiro deles foi a questão do videomonitoramento da cidade, que foi detalhado com uma apresentação de slides que apontou números e grupos de regiões de funcionamento. "Fizemos uma explanação do que nós temos hoje em termos de câmeras e como iria ficar a partir desse estudo. Apresentamos para que os participantes da reunião conhecessem e apresentassem sugestões para que pudéssemos implementar. Nós teremos a renovação do contrato no início do ano que vem e a opção da Prefeitura foi pela locação das câmeras e portanto vamos fazer o termo de referência para fazer a aquisição. Com isso, o número vai saltar de 37 para 81 câmeras públicas situadas em ruas, avenidas e praças", revelou o coronel.

Segundo o secretário, o monitoramento dos próprios públicos também deu um salto no número de câmeras, em uma ação que também conta com o programa Câmera Cidadã, uma rede colaborativa pensada para toda a população e feita com sua participação direta, somando câmeras residenciais e do comércio às públicas já instaladas pela Prefeitura. Outra questão abordada foi o cerco eletrônico na cidade. "Temos seis câmeras que fazem leitura de placas que detectam veículos furtados e roubados por meio do convênio Detecta com a Polícia Militar e Polícia Civil. Vamos ampliar de 6 para 12 câmeras", apontou o coronel.

O outro assunto levantado no encontro foi referente ao aumento do número de roubos e furtos em Araraquara desde 2019. O número de roubos saiu de 261 em 2019 para 225 em 2020 e voltou a subir em 2021 para 254. O mesmo ocorreu com os furtos, crime registrado 2.139 vezes em 2019, 1.549 em 2020 e 1.853 em 2021. "Esses crimes aconteceram principalmente na questão do furto de fio de cobre. Passamos esses dados para as polícias e colhemos algumas ideias para o enfrentamento", ressaltou.

O secretário valorizou as parcerias da Prefeitura na tentativa de conter esse problema. "Já está havendo uma parceria entre as polícias e Prefeitura, fazendo operações em ferros-velhos, tentando detectar a receptação desse produto ilícito, e que também essa parceria da Guarda Civil Municipal, através do setor de inteligência e também das polícias na análises de imagens para tentar detectar e imputar responsabilidade aos autores desse delito", complementou o coronel.

Outros índices criminais

Em sua apresentação, o coronel João Alberto Nogueira Júnior exibiu estatísticas dos índices criminais de Araraquara. Em relação a homicídios dolosos, a cidade saiu de 9 em 2019 para 7 em 2020 e 11 em 2021. Já as tentativas de homicídio tiveram uma grande queda ao sair de 19 em 2019, 12 em 2020 e 6 em 2021.

Em 2021 foi registrada uma lesão corporal seguida de morte, diferente de 2019 e 2020, quando nenhuma ocorrência dessa foi computada. Os latrocínios também saíram de um em 2019, para um em 2020 e dois em 2021. Já os estupros saíram de 24 em 2019 para 12 em 2020 e 11 em 2021. Os estupros de vulnerável saíram de 51 em 2019 para 35 em 2020 e 39 em 2021.

registrado em: ,