Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2022 / Agosto / 31 / Segurança alimentar é tema do "Canal Direto com a Prefeitura"

Comunicação

Segurança alimentar é tema do "Canal Direto com a Prefeitura"

Programa desta quarta-feira (31), Dia do Nutricionista, abordou o combate à fome em Araraquara
Segurança alimentar é tema do Canal Direto com a Prefeitura - Foto Divulgação.jpeg

 

 


Nesta quarta-feira, 31 de agosto, é comemorado o Dia do Nutricionista, profissional responsável por proporcionar qualidade de vida às pessoas através de uma alimentação saudável. Para celebrar a data, o "Canal Direto com a Prefeitura" convidou a coordenadora executiva de Segurança Alimentar, Silvani Silva, e a nutricionista e gerente de abastecimento do setor, Paula Fernanda de Oliveira, que falaram sobre o combate à fome em Araraquara. O programa foi transmitido ao vivo pela página da Prefeitura no Facebook, onde o vídeo se encontra disponível para visualização.

Silvani falou sobre a importância do Banco de Alimentos, que em 2022 completa 15 anos de atuação. "A fome não tem fronteira, então precisamos, a todo momento, trabalhar políticas públicas que atuam no combate à fome. E o Banco de Alimentos cumpre esse papel. O Banco de Alimentos é um equipamento de abastecimento de alimentos e de segurança alimentar que faz a ponte entre quem doa e quem vai receber esses alimentos, por isso tem papel fundamental. Além disso, ele faz um trabalho de combate ao desperdício de alimentos em toda a sua cadeia produtiva, desde o campo até o consumidor final", esclareceu.

Paula explicou como os alimentos doados são cuidados para chegar às pessoas que mais precisam. "Todos aqueles alimentos que não têm mais um valor comercial, mas que nutricionalmente estão adequados para o consumo, passarão pelos nossos funcionários, que têm uma logística de coleta. Eles passam nos pontos de distribuição, fazem a coleta desses alimentos, levam para o Banco de Alimentos e lá nós temos nutricionistas, engenheiros de alimentos e toda uma equipe técnica que faz a seleção desses alimentos, toda a triagem. Nós distribuímos parte dos alimentos na forma em que vêm, depois de fazermos uma higienização. Já aqueles alimentos que são mais machucadinhos, que têm uma parte que precisa ser retirada, nós retiramos também. Embalamos à vácuo aqueles alimentos que precisam de um cuidado mais especial e também aqueles que estão muito maduros. Uma banana muito madura, um tomate, nós transformamos em molhos, doces, para poder distribuir para os beneficiários", contou a nutricionista.

Ela destacou que hoje o Banco de Alimentos recebe em média 12 toneladas de alimentos por mês e muitos deles seriam descartados como lixo. "Eles têm um valor nutricional extremamente importante e vão chegar à mesa das pessoas que mais precisam. É um trabalho muito bonito do banco. Temos parceiros que têm nos ajudado muito e aproveitamos para agradecê-los, e esperamos que mais pessoas e mais parceiros também possam nos ajudar", acrescentou.

Paula Fernanda de Oliveira também falou sobre os programas que visam combater a fome na cidade. "Temos o Cesta Verde, que é um programa que recebe recurso do Governo do Estado para oferecer semanalmente cerca de 2 mil quilos de alimentos para o Banco de Alimentos e para as entidades que são cadastradas também. Temos também o PMAIS, que é um programa no qual o próprio governo compra o alimento da agricultura familiar para montarmos 500 cestas de hortifruti semanalmente para entregarmos para a população através dos CRAS. Agora está para entrar mais um recurso, que é o PAB, que vem do Governo Federal, e o PAA-CONAB do Governo Estadual. Então são vários programas  de combate à fome que nós temos na Coordenadora de Segurança Alimentar", salientou.

Ela afirmou ainda que os alimentos são destinados para a população de diversas formas. "Temos a parte que é distribuída através dos CRAS. Por exemplo, quando falamos de cesta básica e cesta de hortifruti, a demanda vem do CRAS, onde a Assistência Social faz a avaliação das pessoas que precisam e encaminham para nós. O Banco de Alimentos não atende Pessoa Física, só entidades cadastradas. Hoje o Banco de Alimentos tem mais de 50 entidades sócio-assistenciais cadastradas e através dessas entidades nós conseguimos atingir em média 6 mil pessoas por mês", apontou.

Outra iniciativa citada na entrevista foi a UNISOJA, uma parceria entre a Prefeitura e a UNESP, que se dedica ao desenvolvimento e a produção de derivados de soja com o objetivo de melhorar as condições de saúde de uma parcela específica da população de Araraquara e região. "Nós temos uma unidade produtora de leite de soja que fica instalada na UNESP e esse leite de soja é destinado às pessoas que têm intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite. Essas pessoas passam pelo médico do posto de saúde, que vai avaliar se elas de fato necessitam desse leite especial. Feita essa carta de encaminhamento, a pessoa vai até o CRAS do território, onde a assistente social vai fazer uma avaliação desse indivíduo em questões socio-econômicas e, se a pessoa estiver apta, ela vai se enquadrar no programa. Esse documento chega até nós na Coordenadora de Segurança Alimentar, onde vamos direcionar o ponto no qual a pessoa vai retirar esse leite. Antigamente as pessoas retiravam direto na UNESP, mas devido à distância, nós descentralizamos e hoje os pontos de distribuição estão nos territórios, o que torna muito mais fácil para a pessoa poder retirar esse leite semanalmente", mencionou Paula.

Vale salientar que uma pesquisa divulgada em junho apontou que cerca de 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil, porém Silvani comentou que a Prefeitura está preparada para evitar que as pessoas passem por isso na cidade. "Precisamos destacar, como diz sempre o nosso prefeito Edinho, que a cesta básica é um direito, o alimento é um direito constitucional. Todas as pessoas de nossa cidade que passarem por situações de vulnerabilidade, passarem por situações que necessitem de alimentos, devem procurar os CRAS e colocar sua situação, que nós teremos total condição de atender essas famílias. Isso é um direito e aqui em Araraquara é nosso compromisso combater a fome. As pessoas físicas devem procurar os CRAS e as entidades que queiram ser beneficiadas pelos programas da segurança alimentar devem procurar o Banco de Alimentos na Padre Antônio Cezarino na Vila Xavier, que teremos também todos os documentos que precisam ser preenchidos para estarem no nosso cadastro e passarmos a contribuir nessa grande rede de combate à fome", completou.

registrado em: ,