Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2022 / Setembro / 21 / Curadora do Festival Internacional de Dança de Araraquara destaca pluralidade da programação

Comunicação

Curadora do Festival Internacional de Dança de Araraquara destaca pluralidade da programação

Gilsamara Moura, que divide a curadoria do FIDA com a liderança indígena Ailton Krenak, participou do ‘Canal Direto com a Prefeitura’ desta quarta-feira (21)
foto01 Gilsamara Moura apresenta detalhes do FIDA 2022 no Canal Direto com a Prefeitura 21set22.jpeg

A presidente da Fundart (Fundação de Arte e Cultura de Araraquara), Gilsamara Moura, participou do “Canal Direto com a Prefeitura” desta quarta-feira (21) e apresentou detalhes da programação do 22º FIDA (Festival Internacional de Dança de Araraquara).

A abertura do festival ocorreu na noite de quarta-feira, no Sesc, e a programação prossegue até o dia 30 deste mês. Todas as atividades são gratuitas. “O público vai encontrar uma programação plural, de um pluriverso enorme, que contempla a cena indígena, a cena preta, a cena LGBTQIA+, como espectáculos, oficinas, workshops, conversas e muito mais”, disse Gilsamara, que divide a curadoria do FIDA com a liderança indígena Ailton Krenak. A assistência de curadoria é de Douglas Emílio.

O FIDA é uma realização da Secretaria Municipal da Cultura e da Fundart, com o apoio do Sesc Araraquara e Unesp Araraquara e aporte do programa Juntos pela Cultura - edital Retomada SP.

Espetáculos, performances, oficinas, encontros, bate-papos, workshops, palestras, exposições, Sessão Maldita, apresentações indígenas, samba, feira de artesanatos, feira de livros, sessão solene e mostra de videodança marcam esta 22ª edição do festival, que apresenta como tema "Quando Insolentes Dançam...", dividido nos segmentos Residências Selvagens, Debates Selvagens, Workshops Selvagens e Danças Selvagens.

Gilsamara explicou a origem do tema do festival. “Em 2019, eu encontrei uma mulher turca perseguida e refugiada na França, com a qual trabalhei no meu pós-doutorado, e que escreveu um livro que se chama ‘A Insolente’. Nesse livro tem vários aspectos de lutas que são comuns não só para pessoas perseguidas por governos autoritários, mas para todas as mulheres, principalmente. Resolvi trazer esse conceito para o festival neste ano, porque ele tem um significado muito abrangente de liberdade. A insolência é aquela necessidade e a busca por um caminho de liberdade”, relatou.

Segundo Gilsamara, a organização do FIDA traz uma reflexão conceitual sobre pensar a dança de forma desfronteirizada. “A dança não é essa dança do senso comum, que vai assistir a um espetáculo com passo de dança. A dança é pensamento. A dança articula e convoca as pessoas para rituais, pensamentos e reflexões, e é isso que a gente traz nessa concepção do FIDA. A dança tem esse papel político de convocar as pessoas para as lutas que são atuais e emergentes”, concluiu a curadora.

Gilsamara ainda destacou que Araraquara é um município privilegiado por ter políticas públicas de fomento à cultura. “É uma política pública rara em nosso país. Ter um festival de dança realizado por uma prefeitura, assim como ter uma escola municipal de dança como política pública e todas as outras políticas da Secretaria de Cultura e da Fundart. Eu preciso dizer que é uma cidade espetacular por poder fazer isso e manter políticas públicas na Cultura”, afirmou.

O “Canal Direto com a Prefeitura” vai ao ar de segunda a quinta-feira, às 12h30, ao vivo, na página da Prefeitura no Facebook. As íntegras deste programa e dos anteriores seguem disponíveis para visualização.

A programação completa do FIDA 2022 pode ser consultada no site da Prefeitura: www.araraquara.sp.gov.br.

registrado em: , ,